ISSO É DISCIPULADO

Loading...

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

PARÁBOLA DOS LAVRADORES MAUS


Por
Romildo Gurgel

LEITURA BÍBLICA: (Mt. 21:33-46; Mc.12:1-12; Lc. 20:9-19)

1 - INTRODUÇÃO:
De acordo com, Mateus, Marcos e Lucas, Jesus contou a parábola dos lavradores maus, durante a última semana de sua vida na terra. O evangelho apócrifo de Tomé apresenta também esta parábola (citação 65 e 66).

2. PANO DE FUNDO HISTÓRICO

Um dono de terra tinha um terreno e decidiu transformá-lo num vinhedo. Depois de plantado os brotos de uva, ele os protegeu cercando-a com estacas, arbustos e ramos, para que os animais selvagens, tais como raposas e os javalis não comecem quando as uvas brotassem. Também equipou a vinha com um lagar e uma torre. A torre era usada durante a colheita na vigilância contra os ladrões e animais. O lagar era um local onde se colocava as uvas após a colheita para espremê-las para se extrair o suco.
O projeto todo duraria cerca de uns cinco anos até que a vinha viesse a produzir uvas. Portanto o dono da terra, sabendo disso, arrendou a vinha a lavradores, dando garantia de sustentação dos lavradores, dos adubos e suprimentos para a vinha, e esperar que o quinto ano lhes desse algum lucro. Um vinhedo recém plantado e construído não traria retorno financeiro imediato.
O fazendeiro saiu para viajar durante um longo período. Na sua ausência os lavradores cultivariam a vinha, podariam os galhos e cuidariam da plantação durante os primeiros anos. Os trabalhadores trabalhavam de meia e tinham direito a uma parte do que fosse produzido. O lucro restante pertencia ao proprietário. Os lavradores tinha feito um contrato com o dono da terra para cultivar a vinha. Durante os quatro primeiros anos, seriam sustentados pelo proprietário. Passados esses anos de trabalho árduo, a vinha poderia se tornar uma fonte de lucro para o dono.
Quando se aproximou a época da colheita, no quinto ano, o fazendeiro enviou seu servo para receber o lucro da vindima. Os contatos entre o proprietário e os arrendatários devem ter sido mínimos, durante os primeiros quatro anos. A falta de aproximação gerou alienação (domínio, posse) através dos quatro anos. Por isso, o servo foi agarrado, espancado e mandado de volta a seu Senhor. O fato serviu ao proprietário como mensagem de que os arrendatários não tinham a intenção de pagar o lucro exigido, proveniente da colheita das uvas. Eles queriam guardar para si o lucro total, talvez como recompensa pelos anos de trabalho e cuidado dispensados a vinha.
O proprietário, portanto, mandou um outro servo aos arrendatários, com o mesmo pedido. Ele, sem dúvida, se referiu ao contrato assinado entre os arrendatários e o proprietário, que expunha claramente os termos. Mas eles o receberam do mesmo modo como tinham recebido seu predecessor. Bateram-lhe na cabeça, trataram-no insultuosamente e, também, o enviaram de volta com as mãos vazias (Lc.20:11). Uma vez mais se demonstraram abertamente desafiadores: não queriam partilhar com ninguém o lucro obtido na colheita. O proprietário diante de tais acontecimentos demonstra elogiável tolerância . Ele não opôs força a força, nem declarou nulo ou cancelado o contrato, como tinham feito os arrendatários. Depois de algum tempo, talvez na safra seguinte, o proprietário enviou um terceiro servo. Outra vez, os lavradores se recusaram a ceder ao pedido do proprietário; foram violentos, ferindo (Lc.20:12). Enquanto o dono continuava enviando os servos, os arrendatários, ferindo-os e matando-os (Mc.12:5), tornavam conhecido o fato de que a vinha permanecia em suas mãos.
O proprietário entendeu que os arrendatários estavam agindo como donos legítimos da propriedade que era sua. Como ultimo recurso ele enviou seu filho, dizendo a si mesmo que os lavradores reconheceriam sua autoridade, quando se confrontasse com seu filho. “A meu filho respeitarão”, Os simples servos não impunham o mesmo respeito que seria devido a um filho.
Os arrendatários, no entanto, não estavam dispostos a abrir mão da vinha. Quando viram o filho se aproximando, devem ter pensado que o dono tinha morrido e que seu filho tinha tomado seu lugar. Se o filho fosse afastado, os arrendatários, então, poderiam proclamar que tinham cuidado da vinha fielmente, que não haviam pago aluguel algum durante vários anos, e que o legítimo proprietário das terras tinha morrido. No tempo legal, os lavradores estariam habilitados à posse exclusiva da propriedade. Os juízes locais mui provavelmente favoreceriam os lavradores e dariam como legal a operação.
Os arrendatários decidiram matar o herdeiro e tomar para si a herança. Eles o receberam na vinha, mas, depois, para não macular a vinha com sangue, eles o mataram fora.
A paciência do dono da terra se esgotou. Os arrendatários tinham cometido erro desastroso ao matar seu filho. Medidas foram tomadas para arrancá-los da terra e levá-los à justiça, e o proprietário, reclamando plena posse da propriedade, escolheu outros lavradores para tomar conta da vinha, para que no devido tempo lhes dê a parte estipulada da colheita.

3 – O SIGNIFICADO DA PARÁBOLA

a) Quando Jesus diz no primeiro versículo ATENTAI OUTRA PARÁBOLA –
 Parece que os líderes judaizastes já não tinham ouvido o bastante para desmascará-los.
 No entanto lá esta Jesus sacudindo sal na reputação deles, já dolorosamente ferida pela parábola anterior – (Mt.21:28-32)

b) Os líderes religiosos ao ouvirem esta parábola, sabiam que esta parábola se aplicava a eles – (Mt.21:45)

c) Ao Jesus falar a parábola, os líderes devem ter reconhecido rapidamente a citação de Isaías. –
(IS 5:1) - AGORA cantarei ao meu amado o cântico do meu querido a respeito da sua vinha. O meu amado tem uma vinha num outeiro fértil.
(IS 5:2) - E cercou-a, e limpando-a das pedras, plantou-a de excelentes vides; e edificou no meio dela uma torre, e também construiu nela um lagar; e esperava que desse uvas boas, porém deu uvas bravas.
(IS 5:3) - Agora, pois, ó moradores de Jerusalém, e homens de Judá, julgai, vos peço, entre mim e a minha vinha.

(IS 5:4) - Que mais se podia fazer à minha vinha, que eu lhe não tenha feito? Por que, esperando eu que desse uvas boas, veio a dar uvas bravas?

(IS 5:5) - Agora, pois, vos farei saber o que eu hei de fazer à minha vinha: tirarei a sua sebe, para que sirva de pasto; derrubarei a sua parede, para que seja pisada;
(IS 5:6) - E a tornarei em deserto; não será podada nem cavada; porém crescerão nela sarças e espinheiros; e às nuvens darei ordem que não derramem chuva sobre ela.
(IS 5:7) - Porque a vinha do SENHOR dos Exércitos é a casa de Israel, e os homens de Judá são a planta das suas delícias; e esperou que exercesse juízo, e eis aqui opressão; justiça, e eis aqui clamor.

d) Os judaizastes sabiam que Israel era comparado a uma videira -
(SL 80:8) - Trouxeste uma vinha do Egito; lançaste fora os gentios, e a plantaste.
(SL 80:9) - Preparaste-lhe lugar, e fizeste com que ela deitasse raízes, e encheu a terra.
(SL 80:10) - Os montes foram cobertos da sua sombra, e os seus ramos se fizeram como os formosos cedros.
(SL 80:11) - Ela estendeu a sua ramagem até ao mar, e os seus ramos até ao rio.
(SL 80:12) - Por que quebraste então os seus valados, de modo que todos os que passam por ela a vindimam?
(SL 80:13) - O javali da selva a devasta, e as feras do campo a devoram.
(SL 80:14) - Oh! Deus dos Exércitos, volta-te, nós te rogamos, atende dos céus, e vê, e visita esta vide;
(SL 80:15) - E a videira que a tua destra plantou, e o sarmento que fortificaste para ti.

e) O dono da casa é Deus – (Mt.21:33)

f) O proprietário cercou-a com uma sebe – (Mt.21:.33)
Sebe - Cerca de arbustos, ramos, estacas ou ripas entrelaçadas, para vedar terrenos

 Isto diz respeito a lei com todas as suas ordenanças, e que por meio delas a nação judaica foi separada –
(DT 7:8) - Mas, porque o SENHOR vos amava, e para guardar o juramento que fizera a vossos pais, o SENHOR vos tirou com mão forte e vos resgatou da casa da servidão, da mão de Faraó, rei do Egito.

 Aqui Deus fala da separação de seu povo a um local que lhes foi prometido

 Na Nova Aliança essa parede de separação foi derrubada
(EF 2:14) - Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio,

g) Construiu um lagar – (Mt.21:33)
Lagar - Espécie de tanque onde se espremem e se reduzem a líquido certos frutos, esp. as uvas

O lagar, pode ilustrar aqui os verdadeiros frutos de consagração extraido por meio da lei.

h) Construiu uma torre – (Mt.21:33)
A vinha toda podia ser vista da torre de vigia, símbolo do proprietário divino, o Senhor da vinha.

(SL 127:1) - SE o SENHOR não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o SENHOR não guardar a cidade, em vão VIGIA a sentinela.

 Após os Israelitas serem libertos do Egito, receberam a lei e tomaram posse de Canaã, a partir daí, não receberam mais a manifestação extraordinária da presença de Deus –
 Na vinha, ocorreu o mesmo fato, foi arrendada aos lavradores e o proprietário saiu do país – (Mt.21:33)

i) Os lavradores – Eram os chefes e príncipes de Israel

OS TEXTOS ABAIXO FALAM DO ISOLAMENTO DE ISRAEL TOMANDO A VINHA SÓ PARA SI
(EZ 34:2) - Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza, e dize aos pastores: Assim diz o Senhor DEUS: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! Não devem os pastores apascentar as ovelhas?

(ML 2:7) - Porque os lábios do sacerdote devem guardar o conhecimento, e da sua boca devem os homens buscar a lei porque ele é o mensageiro do SENHOR dos Exércitos.

(MT 23:2) - Dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus.
(MT 23:3) - Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem;

j) Quando Jesus citou que enviou vários servos e, eles foram maltratados, surrados e mortos, os líderes entenderam que eram os profetas enviados por Deus –
Como por exemplo:

 ZACARIAS – foi assassinado no pátio do templo, entre o santuário e o altar ;
(2CR 24:20) - E o Espírito de Deus revestiu a Zacarias, filho do sacerdote Joiada, o qual se pôs em pé acima do povo, e lhes disse: Assim diz Deus: Por que transgredis os mandamentos do SENHOR, de modo que não possais prosperar? Porque deixastes ao SENHOR, também ele vos deixará.
(2CR 24:21) - E eles conspiraram contra ele, e o apedrejaram por mandado do rei, no pátio da casa do SENHOR.
(2CR 24:22) - Assim o rei Joás não se lembrou da beneficência que Joiada, pai de Zacarias, lhe fizera; porém matou-lhe o filho, o qual, morrendo, disse: O SENHOR o verá, e o requererá

 ISAÍAS – Foi serrado em partes
 JEREMIAS – Foi apedrejado
 AMÓS – Foi assassinado com um bastão
 JOÃO BATISTA – Foi decapitado
 ESTEVAM – Morto por apedrejamento

k) O filho do proprietário que foi morto, representa a Cristo – (Mt.21:38)

l) Jesus foi morto fora de Jerusalém; os lavradores arrastaram-no para fora da vinha – (Mt.21:39)
(HB 13:12) - E por isso também Jesus, para santificar o povo pelo seu próprio sangue, padeceu fora da porta.

m) Ao Jesus perguntar aos religiosos: “Quando, pois, vier o Senhor da vinha, que fará àqueles lavradores ?” Eles responderam :
(MT 21:41) - Dizem-lhe eles: Dará afrontosa morte aos maus, e arrendará a vinha a outros lavradores, que a seu tempo lhe dêem os frutos.

 Os fariseus auto-sentenciaram-se sem perceber o que faziam e agora são informados não apenas do seu destino, mas também de que os seus privilégios acabaram. O reino de Deus seria tomado deles e da nação e seria dado a outro.

(SL 118:22) - A pedra que os edificadores rejeitaram tornou-se a cabeça da esquina.
(SL 118:23) - Da parte do SENHOR se fez isto; maravilhoso é aos nossos olhos.

 Sobre isso os discípulos do Senhor disseram:

PEDRO
(AT 4:11) - Ele é a PEDRA que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina.

(1PE 2:6) - Por isso também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a PEDRA principal da esquina, eleita e preciosa; E quem nela crer não será confundido.
(1PE 2:7) - E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, A PEDRA que os edificadores reprovaram, Essa foi a principal da esquina,
(1PE 2:8) - E uma PEDRA de tropeço e rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.

PAULO
(RM 9:33) - Como está escrito: Eis que eu ponho em Sião uma PEDRA de tropeço, e uma rocha de escândalo; E todo aquele que crer nela não será confundido.

(EF 2:20) - Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal PEDRA da esquina;

 Este tropeço foi a rejeição dos judeus (lavradores) que Paulo falou em sua carta –

(RM 11:15) - Porque, se a sua rejeição é a reconciliação do mundo, qual será a sua admissão, senão a vida dentre os mortos?
(RM 11:16) - E, se as primícias são santas, também a massa o é; se a raiz é santa, também os ramos o são.
(RM 11:17) - E se alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo zambujeiro, foste enxertado em lugar deles, e feito participante da raiz e da seiva da oliveira,
(RM 11:18) - Não te glories contra os ramos; e, se contra eles te gloriares, não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti.

(RM 11:19) - Dirás, pois: Os ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado.
(RM 11:20) - Está bem; pela sua incredulidade foram quebrados, e tu estás em pé pela fé. Então não te ensoberbeças, mas teme.
(RM 11:21) - Porque, se Deus não poupou os ramos naturais, teme que não te poupe a ti também.
(RM 11:22) - Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado.
(RM 11:23) - E também eles, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; porque poderoso é Deus para os tornar a enxertar.

n) Jesus disse que o reino lhes seria tirado da mão desses lavradores e dariam a outros que produzissem os respectivos frutos – (Mt.21:43)

Quem é este povo que produzirá os respectivos frutos ou os novos arrendatários da vinha ?

(1PE 2:9) - Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;
(1PE 2:10) - Vós, que em outro tempo não éreis povo, mas agora sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia.

(AP 1:6) - E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém.

o) Contudo, a Igreja, mesmo ocupando uma posição bem mais privilegiada do que Israel, precisa cuidar para não perder sua posição –

(RM 11:22) - Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado.

(AP 2:5) - Lembra-te, pois, de onde caíste, e arrepende-te, e pratica as primeiras obras; quando não, brevemente a ti virei, e tirarei do seu lugar o teu castiçal, se não te arrependeres.

(AP 3:16) - Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.

BIBLIOGRAFIA

OS EVANGELHOS – Editora Arvore da Vida, primeira edição, 1999. São Paulo/SP

KISTEMAKER,Simon J. As Parábolas de Jesus. Casa Publicadora Presbiteriana. 1a Edição 1992. São Paulo/SP

LOCKYER, Herbert. Todas as Parábolas de Jesus. Editora Vida.3a Impressão, São Paulo/SP

Biblia em Bytes – Bertoline Informática

Novo Testamento – Sociedade Bíblica do Brasil, Revista atualizado do Brasil, 2a Edição, Barueri/SP.

Elaboração
Pr.Romildo Gurgel