ISSO É DISCIPULADO

Loading...

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

PARÁBOLA DO AMIGO IMPORTUNO


Por
Romildo Gurgel

LEITURA BÍBLICA: (Lc.11:1-13)

I – INTRODUÇÃO
Todo o texto diz respeito a oração ensinada por Jesus. O pai nosso aqui, é mais resumido do que esta em Mateus. Apenas Lucas menciona a parábola do amigo que vem à meia noite.

II – PANO DE FUNDO HISTÓRICO

O cenário está colocado numa pequena aldeia onde não há lojas. Cada lar assaria seus próprios pães todas as manhãs. Jesus retrata um lar que já usou todo o seu suprimento, que recebe uma visita inesperada de um amigo que está viajando. É meia-noite, provavelmente significa que o amigo tinha viajado depois do escurecer a fim de evitar o calor do dia. O homem deve alimentar o amigo, pois a hospitalidade era um dever sagrado. Sendo assim, vai para um vizinho amigo, pedindo três pães, i.e, três pãezinhos que bastariam para um homem. Mas este segundo chefe de lar já travara sua porta e fora para a cama com seus filhos. Evidentemente era um homem pobre que vivia numa casa de um cômodo só. A família inteira dormiria numa plataforma elevada numa extremidade do cômodo, possivelmente com os animais no nível do chão. Um homem em semelhante situação não poderia levantar-se sem perturbar a família inteira. O homem, porém, é persistente, não foi embora e nem deixou seu amigo dormir. E onde a amizade não pode prevalecer sua importunação ganha a vitória.

III – OS ENSINAMENTOS DA PARÁBOLA

a) A parábola mostra na realidade quatro amigos.
• O que pratica a hospitalidade a um amigo
• O que hospedou-se na casa do amigo
• O amigo vizinho
• Jesus o amigo verdadeiro, que na parábola ensinar que nos ama e que esta unido a nós mais do que um irmão para o que venhamos a pedir ao Pai.

b) A parábola ensina a orar de uma maneira perseverante -

NÃO COMO OS HIPÓCRITAS
(MT 6:5) - E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

ORAR A PARTE
(MT 14:23) - E, despedida a multidão, subiu ao monte para ORAR, à parte. E, chegada já a tarde, estava ali só.

ORAÇÃO PERSEVERANTE
(MT 26:36) - Então chegou Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani, e disse a seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto vou além ORAR.
(MT 26:37) - E, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-se e a angustiar-se muito.
(MT 26:38) - Então lhes disse: A minha alma está cheia de tristeza até a morte; ficai aqui, e velai comigo.
(MT 26:39) - E, indo um pouco mais para diante, prostrou-se sobre o seu rosto, orando e dizendo: Meu Pai, se é possível, passe de mim este cálice; todavia, não seja como eu quero, mas como tu queres.
(MT 26:40) - E, voltando para os seus discípulos, achou-os adormecidos; e disse a Pedro: Então nem uma hora pudeste velar comigo?

O ESPINHO NA CARNE DE PAULO LEVOU-O A ORAR POR TRÊS VEZES
(2CO 12:7) - E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar.
(2CO 12:8) - Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim.
(2CO 12:9) - E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo.

 Quantas vezes você ora quando esta doente. Você admite a doença ? Paulo não admitia.

PEDIR E RECEBER
(MT 21:22) - E, tudo o que pedirdes na ORAÇÃO, crendo, o recebereis.

ORAR PARA DESESTRUTURAR A AÇÃO DEMONIACA
(MC 9:29) - E disse-lhes: Esta casta não pode sair com coisa alguma, a não ser com ORAÇÃO e jejum.

c) O significado do termo importune e importunação – (vs.7 e 8 )

Importunar – (dic. Aurélio) - Incomodar com súplicas repetidas; aborrecer com pedidos insistentes.
No grego – Significa não ter vergonha, destemido. Que não se envergonha para pedir duas ou mais vezes.

A PERSEVERANÇA DA IMPORTUNAÇÃO DA MULHER CANANÉIA
(MC 7:24) - E, levantando-se dali, foi para os termos de Tiro e de Sidom. E, entrando numa casa, não queria que alguém o soubesse, mas não pôde esconder-se;
(MC 7:25) - Porque uma mulher, cuja filha tinha um espírito imundo, ouvindo falar dele, foi e lançou-se aos seus pés.
(MC 7:26) - E esta mulher era grega, siro-fenícia de nação, e rogava-lhe que expulsasse de sua filha o demônio.
(MC 7:27) - Mas Jesus disse-lhe: Deixa primeiro saciar os filhos; porque não convém tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos.
(MC 7:28) - Ela, porém, respondeu, e disse-lhe: Sim, Senhor; mas também os cachorrinhos comem, debaixo da mesa, as migalhas dos filhos.
(MC 7:29) - Então ele disse-lhe: Por essa palavra, vai; o demônio já saiu de tua filha.
(MC 7:30) - E, indo ela para sua casa, achou a filha deitada sobre a cama, e que o demônio já tinha saído.

A PERSEVERANÇA DA IMPORTUNAÇÃO DO CEGO DE JERICÓ
(MC 10:46) - Depois, foram para Jericó. E, saindo ele de Jericó com seus discípulos e uma grande multidão, Bartimeu, o cego, filho de Timeu, estava assentado junto do caminho, mendigando.
(MC 10:47) - E, ouvindo que era Jesus de Nazaré, começou a clamar, e a dizer: Jesus, filho de Davi, tem misericórdia de mim.
(MC 10:48) - E muitos o repreendiam, para que se calasse; mas ele clamava cada vez mais: Filho de Davi! tem misericórdia de mim.
(MC 10:49) - E Jesus, parando, disse que o chamassem; e chamaram o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, que ele te chama.
(MC 10:50) - E ele, lançando de si a sua capa, levantou-se, e foi ter com Jesus.
(MC 10:51) - E Jesus, falando, disse-lhe: Que queres que te faça? E o cego lhe disse: Mestre, que eu tenha vista.
(MC 10:52) - E Jesus lhe disse: Vai, a tua fé te salvou. E logo viu, e seguiu a Jesus pelo caminho.

A LUTA DE JACÓ COM O ANJO DURANTE TODA UMA NOITE QUANDO O SEU IRMÃO ESAÚ O PERSEGUIA
(GN 32:22) - E levantou-se aquela mesma noite, e tomou as suas duas mulheres, e as suas duas servas, e os seus onze filhos, e passou o vau de Jaboque.
(GN 32:23) - E tomou-os e fê-los passar o ribeiro; e fez passar tudo o que tinha.
(GN 32:24) - Jacó, porém, ficou só; e lutou com ele um homem, até que a alva subiu.
(GN 32:25) - E vendo este que não prevalecia contra ele, tocou a juntura de sua coxa, e se deslocou a juntura da coxa de Jacó, lutando com ele.
(GN 32:26) - E disse: Deixa-me ir, porque já a alva subiu. Porém ele disse: Não te deixarei ir, se não me abençoares.
(GN 32:27) - E disse-lhe: Qual é o teu nome? E ele disse: Jacó.
(GN 32:28) - Então disse: Não te chamarás mais Jacó, mas Israel; pois como príncipe lutaste com Deus e com os homens, e prevaleceste.
(GN 32:29) - E Jacó lhe perguntou, e disse: Dá-me, peço-te, a saber o teu nome. E disse: Por que perguntas pelo meu nome? E abençoou-o ali.
(GN 32:30) - E chamou Jacó o nome daquele lugar Peniel, porque dizia: Tenho visto a Deus face a face, e a minha alma foi salva.
(GN 32:31) - E saiu-lhe o sol, quando passou a Peniel; e manquejava da sua coxa.

d) Dois fatos foram observados por Jesus que levaram com que o amigo importunado viesse a dar o que lhe pedira.

 O peso da amizade - O amigo importuno esperava que o seu amigo vizinho iria se levantar naquela hora de suma maneira bem generosa, embora o horário fosse inconveniente –
 A perseverança na insistência - Se o vizinho não se levantasse porque era tarde da noite, ele insistiria por repetidas vezes até vencer –
 Então, se não levantasse por amizade, levantaria por insistência.

e) A parábola ensina que devemos pedir sem duvidar -

Se o amigo importuno duvidasse que o vizinho não lhe emprestaria os pães, talvez ele não fosse acordá-lo –
(TG 1:6) - Peça-a, porém, com fé, em nada DUVIDAndo; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte.
(TG 1:7) - Não pense tal homem que receberá do Senhor alguma coisa.
(TG 1:8) - O homem de coração dobre é inconstante em todos os seus caminhos.

f) A parábola estimula o crente a:

 Pedir e receber - Orar de um modo geral
 Buscar e achar – Suplicar de um modo específico  (Mt.6:33)
 Bater – exigir de um modo mais íntimo – (vd.vs.14)

g) Jesus ilustra a parábola tirando exemplos da conduta humana

Qual o pai dará coisas danificantes (pedra ou serpentes) ao filho que lhe peça pão ou um ovo –
(LC 11:11) - E qual o pai de entre vós que, se o filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, também, se lhe pedir peixe, lhe dará por peixe uma serpente?
(LC 11:12) - Ou, também, se lhe pedir um ovo, lhe dará um escorpião?
(LC 11:13) - Pois se vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o Pai celestial o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?

h) Outros ensinos acerca da parábola

• O amigo vizinho dormia, Deus não dorme -
(SL 121:3) - Não deixará vacilar o teu pé; aquele que te guarda não tosquenejará.
(SL 121:4) - Eis que não tosquenejará nem dormirá o guarda de Israel.

Torquenejar – (dic.Aurélio) Cabecear com sono, abrindo e fechando os olhos

• Ouvir as orações dos seus servos não molesta a Deus, antes, Deus tem prazer em ouvi-los –

• Deus não empresta. Ele dá gratuitamente e sem lançar em rosto.

• Devemos persistir se não acharmos resposta imediata.

BIBLIOGRAFIA

1. Os Evangelhos, versão restauração. Comentários Witness Lee – Living Stream Ministry – Anaheim, California – EUA. Editora Arvore da Vida

2. KISTEMAKER, Simon J. As parabolas de Jesus. 1a Ed.1992, Sao Paulo: Casa Editora Presbiteriana.
3. Bíblia Vida Nova – Edição Revista e Atualizada – Sociedade Bíblica do Brasil, Editor responsável Russell P. Shedd

4. Lockyer, Herbert. Todas as Parábolas da Bíblia; Editora Vida ; 3° impressão 2001 – São Paulo.

5. A Bíblia em Bytes Shammah – Bíblia computadorizada

6. Dicionário Aurélio século XXI – computadorizado

7. Morris, Leon L. LUCAS, introdução e comentário. Editora Mundo Cristão.1ª Edição, 1983. São Paulo/SP.

8. Chave Bíblica; Sociedade Bíblica do Brasil, 1970.

Elaborado por
Romildo Gurgel