ISSO É DISCIPULADO

Loading...

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

PARÁBOLA DO RICO INSENSATO


Por
Romildo Gurgel

LEITURA BÍBLICA: (Lc.12:12-21)

I – PANO DE FUNDO HISTÓRICO
Dois irmãos vinham discutindo a respeito de uma herança. O pai tinha morrido, e o irmão mais velho, na opinião do mais novo, não tinha cumprido o que estava especificado no testamento. O irmão mais novo ao curso da ação, fez um apelo a Jesus, visto que era costume da época os rabinos resolverem questões como esta. Os rabinos conheciam a lei, e serviam duplamente como mestre e advogado. Jesus no entanto negou-se a se envolver na disputa e a servir de juiz e árbitro. O irmão que pediu a Jesus para intervir parece ter ido, sozinho, até Jesus. O texto não fala que o irmão mais velho tenha concordado em ter uma terceira pessoa avaliando a situação. O que fica evidente é que a pessoa que se dirigiu a Jesus queria usá-lo como advogado, juiz e árbitro.
Por isso, depois de ter-se dirigido diretamente ao homem, Jesus passou a ensinar à multidão uma lição espiritual, fazendo-lhes uma recomendação geral, e contando-lhe uma parábola.:
Recomendou: “Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui”.

Como mestre, Jesus ensinou aos seus discipulos:
a) Contra o perigo espiritual da avareza – (Ef.5:3)
b) A avareza é idolatria – (Cl.3:5)
c) É o culto a criatura ao invés do criador –
d) Pessoas avarentas não herdam o reino de Deus – (1Co.6:9-10;
e) O apóstolo Paulo ensina a ter cuidado com a avareza - (1Tm.6:7-8)

Na parábola de Jesus, um fazendeiro muito rico teve um verão excepcional, porque na ocasião da ceifa tivera uma colheita abundante. O fazendeiro arrazoava consigo mesmo o que fazer com a colheita e onde guardá-la. Ele resolveu: “Farei isto: Destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens”. Falando consigo mesmo e usando os pronomes eu e meu repetidamente, ele revela seu extremo egoísmo. Este homem não se sentia seguro dependendo de Deus, não considerava a promessa de Deus e jamais passou pela cabeça a idéia de ajudar os pobres. Ao contrário, pensou em si mesmo, em seu próprio prazer e segurança. O enriquecimento de sua própria vida não era ao menos considerado. Depois de construir maiores celeiros continuou a revelar o seu propósito: “Então direi a minha alma: Tens em depósito muitos bens para muitos anos: descansa, come e bebe, e regala-te”. O circulo de sua vida resumia a um ponto. Ela não se caracterizava pelos pecados de comissão (praticados), mas, sim, pelos pecados de omissão. Deixou de agradecer a Deus as riquezas recebidas e foi negligente o cuidado ao próximo necessitado. Sem Deus e sem o próximo, sua vida estava centrada nele mesmo. Deus interveio chamando-o de louco, e dizendo-lhe que morreria naquela noite. Perderia a vida e todas as suas riquezas. Deus o chamou para prestar contas de seus bens. Queria fazer um balanço de suas posses terrenas e espirituais.

II – ENSINOS FUNDAMENTAIS DA PARÁBOLA

a) “O campo de um homem rico produziu com abundância” – (v.16)
O homem deve reconhecer por mais que se esforce para conseguir, que tudo que lhes vem a mãos, constitui-se uma dádiva de Deus –

 Dinheiro, ouro, riquezas - (1Cr.29:1-14)
 O Senhor é o que enriquece e empobrece – ( Sl.65:8-13; 1Sm.2:7)
 Posição – (Jo.19:10-11)

b) Uma lição espiritual, guardai-vos de toda e qualquer avareza porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui –
 Servos tem que ser sem avareza – (Êx.18:21)
 Do coração é que sai a avareza – (Mc.7:21-22)
 Não podemos amar a Deus e as riquezas, mas poderemos ter bens sem ser avarento – (Mt.6:24)
 Devemos se resguardar de toda e qualquer avareza – (Lc.12:15)
 Devemos nos contentar com o que temos – (Hb.13:5)

c) O homem arrazoava consigo mesmo – (v.17 e 18)
 Ele não conseguiu ver a si mesmo como administrador de tudo aquilo com que Deus o enriquecera – (Lc.16:1-8)

(Lc.12: 42) - Respondeu o Senhor: Qual é, pois, o [mordomo] fiel e prudente, que o Senhor porá sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração?

d) A semelhança do rico insensato vejamos alguns textos das escrituras –
(SL 49:6) - Aqueles que confiam na sua fazenda, e se gloriam na multidão das suas riquezas,
(SL 49:7) - Nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, ou dar a Deus o resgate dele
(SL 49:8) - (Pois a redenção da sua alma é caríssima, e cessará para sempre),
(SL 49:9) - Para que viva para sempre, e não veja corrupção.
(SL 49:10) - Porque ele vê que os sábios morrem; perecem igualmente tanto o louco como o brutal, e deixam a outros os seus bens.
(SL 49:11) - O seu pensamento interior é que as suas casas serão perpétuas e as suas habitações de geração em geração; dão às suas terras os seus próprios nomes.
(SL 49:12) - Todavia o homem que está em honra não permanece; antes é como os animais, que perecem.

(SL 49:16) - Não temas, quando alguém se enriquece, quando a glória da sua casa se engrandece.
(SL 49:17) - Porque, quando morrer, nada levará consigo, nem a sua glória o acompanhará.
(SL 49:18) - Ainda que na sua vida ele bendisse a sua alma; e os homens te louvarão, quando fizeres bem a ti mesmo,
(SL 49:19) - Irá para a geração de seus pais; eles nunca verão a luz.
(SL 49:20) - O homem que está em honra, e não tem entendimento, é semelhante aos animais, que perecem.

(2PE 2:12) - Mas estes, como animais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção,
(2PE 2:13) - Recebendo o galardão da injustiça; pois que tais homens têm prazer nos deleites quotidianos; nódoas são eles e máculas, deleitando-se em seus enganos, quando se banqueteiam convosco;
(2PE 2:14) - Tendo os olhos cheios de adultério, e não cessando de pecar, engodando as almas inconstantes, tendo o coração exercitado na avareza, filhos de maldição;
(2PE 2:15) - Os quais, deixando o caminho direito, erraram seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça;
(2PE 2:16) - Mas teve a repreensão da sua transgressão; o mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta.
(2PE 2:17) - Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva.

(TG 4:13) - Eia agora vós, que dizeis: Hoje, ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos;
(TG 4:14) - Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.
(TG 4:15) - Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo.
(TG 4:16) - Mas agora vos gloriais em vossas presunções; toda a glória tal como esta é maligna.

e) O acumulo de riquezas terrenas não quer dizer que somos ricos espiritualmente -

 Muitos pensam que são ricos, mas são pobres, sego e nu, como na igreja de Laodicéia –

(AP 3:17) - Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;
(AP 3:18) - Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.
(AP 3:19) - Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.
(AP 3:20) - Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.

TUDO VEM DO SENHOR E A ELE DEVOLVEMOS
(1CR 29:14) - Porque quem sou eu, e quem é o meu povo, para que pudéssemos oferecer voluntariamente coisas semelhantes? Porque tudo vem de ti, e do que é teu to damos.

O AMOR AO DINHEIRO É A RAIZ DE TODOS OS MALES
(1TM 6:10) - Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

f) Em outras parábolas, Jesus fala sobre o uso do dinheiro tanto no campo espiritual como no material -

 O rico insensato e o outro rico que é contrastado com Lázaro não usaram a sua riqueza a favor dos outros – (Lc.16:19-31)

 O alimento espiritual e as dádivas do reino, Jesus não pode omitir quem as deseja –
(MT 15:22) - E eis que uma mulher cananéia, que saíra daquelas cercanias, clamou, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim, que minha filha está miseravelmente endemoninhada.
(MT 15:23) - Mas ele não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, chegando ao pé dele, rogaram-lhe, dizendo: Despede-a, que vem gritando atrás de nós.
(MT 15:24) - E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.
(MT 15:25) - Então chegou ela, e adorou-o, dizendo: Senhor, socorre-me!
(MT 15:26) - Ele, porém, respondendo, disse: Não é bom pegar no pão dos filhos e deitá-lo aos cachorrinhos.
(MT 15:27) - E ela disse: Sim, SENHOR, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores.
(MT 15:28) - Então respondeu Jesus, e disse-lhe: Ó mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã.

 A ilusão das riquezas bloqueiam qualquer anseio por Deus e pela sua Palavra -
(Mt.6: 24) - Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às r[iquezas].

g) Como Deus deseja que usemos o dinheiro?

 Como um bom homem com o seu tesouro –
(LC 6:45) - O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca.

 A parábola das Minas e dos talentos revela como Deus espera que os seus servos usem o que tem recebido - Talentos (Mt.25:14-30) e 10 minas (Lc.19:11-27)

h) Como se preparar para se encontrar com o Senhor?

 Buscando as coisas que são de cima e não as que são da terra –( Cl.3)

 As coisas da terra vêm por acréscimo – (Mt.6:25-34)

 Acumulando tesouros que nos sirvam para a eternidade –

(MT 19:21) - Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um TESOURO no céu; e vem, e segue-me.

(MT 13:44) - Também o reino dos céus é semelhante a um TESOURO escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo.

(MT:6:19) - Não ajunteis para vós [tesouros] na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam;
(Mt.6:20) -

(LC 12:20) - Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?
(LC 12:21) - Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.
mas ajuntai para vós [tesouros] no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam.

(HB 11:24) - Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó,
(HB 11:25) - Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado;
(HB 11:26) - Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa.

 Negando a vida da alma para ganhá-la no futuro – (Mt.16:24-28), isto implica que o futuro dependerá de como estamos tratando com a nossa alma no presente. Perderemos a alma, quando ganhamos no presente. Então se conclui que o perigo de dar privilégios a nossa vontade e emoções, fará com que no futuro venhamos sofrer alguma perda.

 Esmurrando o corpo e reduzindo a servidão –
(1CO 9:27) - Antes esmurro o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.

Elaborado por
Romildo Gurgel

Nenhum comentário:

Postar um comentário