ISSO É DISCIPULADO

Loading...

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

PARÁBOLA DO FILHO PRÓDIGO


Por                                 Atualizado em 05.05.2013
Romildo Gurgel


Leitura Bíblica: (Lucas.15:11-32)

II - Pano de fundo histórico
Em (Lucas 15), Jesus teceu três parábolas que poderemos chamá-las de tri-gêmeas . O criticismo dos fariseus ao relacionamento sincero de Jesus com conhecidos pecadores e com os rejeitados socialmente foi o motivo que ocasionaram estas três parábolas deste capítulo. As parábolas ilustram o amor de Deus e a preocupação com os pecadores. Sua atitude é nitidamente oposta à dos autojustificados.
Os fariseus correspondem às 99 ovelhas, às 9 dracmas e ao irmão mais velho.
Os publicanos (Dic. Aurélio - homem de negócios e cobrador de rendimentos) e pecadores correspondem à ovelha, à dracma perdida e ao filho pródigo (esbanjador) .
A parábola revela o amor de Deus tanto pelo seus  filhos, tanto para o rebelde como para o obediente.

III – Interpretação da parábola.

1 - O FILHO MAIS NOVO.
a) Pediu ao pai a parte da fazenda que lhe cabia na herança por nascimento - Na morte de um pai, a lei judaica dividia 1/3 dos bens para o filho mais novo e 2/3 para o mais velho – (Dt.21:17).Aqui revela a astúcia dos desvantajosos quanto a lei, solicitou antecipação de sua herança.

b) Em poucos dias o filho mais novo juntou todos os seus pertences e foi para uma terra longínqua e ali desperdiçou sua fazenda vivendo dissolutamente (dissolver, romper contrato, perverter-se de costumes). Ele começou  a  entrar em um processo rumo a apostasia e a praticar pecados contra sua própria consciência. (v.13)

c) Gastou tudo o que tinha e começou a ter necessidades – (v.14) 
- Não estava preparado para a vida
- Não entendia nada sobre planejamento
- Não tinha a mínima noção de investimento

d) Pediu um emprego a um cidadão daquela terra e virou apascentador de porcos – Trabalho esse que era contrário aos ensinos e cultura da sua família  (v.15)
§ Os porcos são animais imundos – (Lv.11:7) – Representa trabalhos de corruptos desse mundo.
§ Desejou saciar sua fome com as bolotas que os porcos comiam e ninguém tinha sensibilidade as suas necessidades, pois ninguém lhes dava nada – (v.16) . O seu orgulho e obstinação aprisionava-o  longe e separado de sua família.
e) A lembrança do Pai, dos seus empregados, da integridade e justiça praticadas  praticada pelos pais no ambiente da família  foi o instrumento utilizado pelo Espírito  Santo para levar o arrependimento para este jovem. Isto  aparece na frase "caindo em si". Cair em si, é uma conversa mental-espiritual-pessoal que vez com que este jovem pudesse comparar a vida que tinha coma que estava tendo. Ele falava consigo mesmo assim: "Quantos trabalhadores do meu pai têm pão com fartura e eu aqui morro de fome"! - (v.17).

Verdade aplicada: Se o seu filho saiu de casa, é rebelde, teimoso, contrário a Deus e ao senso comum da sociedade. O bom porte da família, sua integridade com Deus e o seu bom testemunho, será uma voz poderosa no coração desses jovens, pode acreditar, Deus tocará no coração deles pelo Espírito Santo e se lembrará dos padrões assistidos em sua casa paterna.

ENFIM O JOVEM É CONVENCIDO PELO ESPÍRITO SANTO E SE ARREPENDE E TOMA UMA ATITUDE.
(LC 15:18) - Levantar-me-ei, e irei ter com meu pai, e dir-lhe-ei: Pai, pequei contra o céu e perante ti;
(LC 15:19) - Já não sou digno de ser chamado teu filho; faze-me como um dos teus jornaleiros.
(LC 15:20) - E, levantando-se, foi para seu pai; e, quando ainda estava longe, viu-o seu pai, e se moveu de íntima compaixão e, correndo, lançou-se-lhe ao pescoço e o beijou.
(LC 15:21) - E o filho lhe disse: Pai, pequei contra o céu e perante ti, e já não sou digno de ser chamado teu filho.
è Aqui, a mente do filho esta no Pai, lembrando-se constantemente de sua casa. Imagino as inúmeras formas e os paralelos que o Espírito Santo entre sua situação presente e as realidades desfrutadas na casa de seu pai.

§ Temos aqui a ação do Espírito Santo levando-o ao arrependimento, a avaliar suas atitudes e comportamentos errados e pecaminosos, o remorso e a inquietação da consciência tomaram conta do rapaz, quando aparecia tudo acabado,  veio a luz. O Espírito Santo é um socorro bem presente na hora da angustia, é conselheiro interior.  O jovem diante disso admite os seus erros, humilha-se e parte para uma  reconciliação e volta para casa de seu pai. Ele sabia do caráter do pai, do seu amor, da sua flexibilidade, da sua tolerância e do seu caráter perdoador. 

Verdade aplicada: Vemos aqui um secreto poder sobrenatural modificando o coração pecaminoso, fabricando uma profunda alteração nas atitudes e disposições do rapaz. O novo Testamento Interpretado  de  R.N. Champlin), tece os seguintes tópicos sobre esse arrependimento:

§ O pródigo caiu em si mesmo
§ Reconheceu seu próprio eu
§ Viu os seus próprios males,
§ Viu que os seus males o deixou naquela situação de miséria
§ Esse conhecimento e pensamentos, levou o rapaz ao arrependimento.
§ O arrependimento levou o rapaz voltar mais humilde, sem pretensão de posição paterna.
§ O rapaz queria alcançar o lar do pai e trabalhar ali como um jornaleiro.

AS FUNÇÕES DO ESPÍRITO SANTO

(JO 16:8) - Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo:
(JO 16:9) - do pecado, porque não crêem em mim;
(JO 16:10) - da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais;
(JO 16:11) - do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado.
(JO 16:12) - Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora;
(JO 16:13) - quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.
(JO 16:14) - Ele me glorificará, porque há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.
(JO 16:15) - Tudo quanto o Pai tem é meu; por isso é que vos disse que há de receber do que é meu e vo-lo há de anunciar.

 FUNÇÃO DO ESPIRITO SANTO A LUZ DESSE TEXTO :

1 – Convenceu o rapaz do seu pecado, da justiça e do juízo
• Do pecado porque não crêem em mim
• Da justiça porque vou para o Pai (assentar-se a sua direita na Glória, até que todos os inimigos sejam posto em baixo de Seus pés)
• Do juízo porque o príncipe deste mundo já esta julgado. Onde o príncipe deste mundo foi julgado ? Na morte do Senhor.
(JO 12:31) - Chegou o momento de ser julgado este mundo, e agora o seu príncipe será expulso.
(JO 12:33) - Isto dizia, significando de que gênero de morte estava para morrer.
(JO 12:32) - E eu, quando for levantado da terra, atrairei todos a mim mesmo.

2 – Ele guiou o filho na longa distância de sua casa, fazendo-o lembrar de sua casa –
(JO 16:13) - quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.

3 – Ele glorificará, porque recebe o que é do Pai. - O Espírito Santo trabalhou com a fidelidade cultural existente na família do rapaz, convencendo-o a olhar para a sua paternidade e rememorar dias felizes  (v.21) –  O Espírito Santo lembra a realidade do bem contemplado e quando este passou a considerar e a admitir essa voz interna, gerou  uma forma de louvor e glorificações quando disse ao seu Pai: "..Pai, pequei contra o céu e diante de ti; já não sou digno de ser chamado teu filho" (v.21) 

4 – Ele fez lembrar todas coisas boas da casa de seu Pai –
(JO 14:26) - mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito.

5 – Ele falou no coração do filho, mesmo quando estava longe e sem ninguém por perto –
(JO 16:13) - quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir.

Ø Jesus foi quem levou a cabo a vontade de Deus em mandar o outro Consolador.

6 – Ele fez entender a bondade de Seu Pai –
(1CO 2:12) - Ora, nós não temos recebido o espírito do mundo, e sim o Espírito que vem de Deus, para que conheçamos o que por Deus nos foi dado gratuitamente.
(1CO 2:13) - Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais.
(1CO 2:14) - Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.

7 – Ele faz o filho ser um com o Seu Pai  Ele disse: “Não sou digno de ser chamado de filho...” (v.21)

(1CO 6:17) - Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com ele.

8 – Ele salvou o filho pela lavagem da regeneração do Espírito Santo – Isto acontece com meditações e instruções devocionais diárias. O poder dessa prática é curador e transformador.

(TT 3:5) - ... ele nos salvou mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo,

(JO 16:13) - quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir

(Salmo 119:105) - Lâmpada para os meus pés é a sua palavra e luz para os meus caminhos.

2 – O PAI.
a) De acordo com o desenvolvimento da parábola, o Pai é demonstrado como aquele que tem um relacionamento extraordinário com os filhos

b) Ele não se opôs ao pedido de divisão dos bens requerido pelo filho mais novo.

c) O Pai consentiu que o filho se tornasse independente. Mas não deixou de perceber que ele somente iria aprender alguma coisa na escola prática da vida.

d) Possivelmente o Pai tenha tentado descobrir onde vivia o filho. As notícias sobre a fome onde o filho estava devia ter chegado ao seu conhecimento pois ele constantemente olhava ao longo do caminho por onde esperava que ele regressasse.

e) Ele conhecia bem o filho, e a possibilidade dele se arrepender, cair em si, confessar o seu pecado e voltar para casa buscando a reconciliação. Estas práticas foram ensinadas na vida da devoção familiar.

f) O pai tinha o controle da situação e não o filho. Famílias de fé controla tudo, porque a fé descansa no poder de Deus.

g) O pai ao ver o retorno do seu filho, encheu-se de compaixão, correu ao encontro e abraçou-o e beijou-o – (Lc.15:20) . Que sena fantástica. Esta sena traduz muitas verdades: 

- Deus é fiel a sua palavra e as devocionais ensinadas no âmbito do lar.
- A fé e a esperança pode muito em seus efeitos.
- O testemunho da fidelidade do pai tem o seu auto grau de importância.
- A administração da fazenda e o tratamento com os seus funcionários, teve peso no retorno do rapaz.

h) O Pai veste o filho da melhor roupa – (v.22)
(IS 61:10) - Regozijar-me-ei muito no SENHOR, a minha alma se alegra no meu Deus; porque me cobriu de VESTES DE SALVAÇÃO e me envolveu com o manto de justiça, como noivo que se adorna de turbante, como noiva que se enfeita com as suas jóias.

ESTA ROUPA É REVESTIR-SE DO SENHORIO DO PAI, DE CRISTO.

(RM 13:14) - mas REVESTI-VOS do Senhor Jesus Cristo e nada disponhais para a carne no tocante às suas concupiscências.

(CL 3:12) - REVESTI-VOS, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de ternos afetos de misericórdia, de bondade, de humildade, de mansidão, de longanimidade.

(AP 7:9) - Depois destas coisas, vi, e eis grande multidão que ninguém podia enumerar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, em pé diante do trono e diante do Cordeiro, vestidos de vestiduras brancas, com palmas nas mãos;

(AP 3:17) - pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim, miserável, pobre, cego e NU.
(AP 3:18) - Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que vejas.

(AP 16:15) - (Eis que venho como vem o ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande NU, e não se veja a sua vergonha.)

(AP 3:4) - Tens, contudo, em Sardes, umas poucas pessoas que não contaminaram as suas vestiduras e andarão de branco junto comigo, pois são dignas.
(AP 3:5) - O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da Vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.

i) Colocou no seu dedo um anel de ouro – (aliança)

j) Mandou colocar sandálias nos seus pés, o jovem estava descalço – (v.22) – preparação do evangelho – (Ef.6:15)

k) Mandou matar o novilho sevado – (v.23) fez um banquete.
(Ap.3: 20) - Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele [cearei], e ele comigo.

l) O pai comemora a salvação do filho –
(v.24) – Porque este meu filho estava morto e reviveu, estava perdido e foi achado. E começaram a regozijar-se.
èOs termos falam que o jovem estivera espiritualmente morto, mas que agora vivia, conforme também se vê em (Lc.9:60) e (19:10) e repetido no (v.32). Estar perdido equivale a estar morto. E ser achado ou salvo, significa estar vivo. O trecho de (Nm.11:34) fala de sepulcros da concupiscência, enquanto o apóstolo Paulo escreveu: “...entretanto, a que se entrega aos prazeres, mesmo viva, está morta” (1Tm.5:6). (R.N.Champlin, in loco)

3 – O FILHO MAIS VELHO (o outro filho pródigo que permaneceu em casa)

a) O filho mais velho estava trabalhando no campo. Tudo indica que ele estava trabalhando em uma parte distante da fazenda, porque parece que ele foi o ultimo a saber do retorno do seu irmão. – (v.25-26)
b) O filho mais velho sente indignação pela atitude do pai – (v.27-30)
c) O pai tenta conciliá-lo e levá-lo a participar da festa – (31-32)

Romildo Gurgel