ISSO É DISCIPULADO

Loading...

domingo, 13 de fevereiro de 2011

PARÁBOLA DA FIGUEIRA ESTERIL



Por Romildo Gurgel


1 – LEITURA BÍBLICA: (Lc.13:1-9)

2 – INTRODUÇÃO:
Esta parábola não deve ser entendida ou confundida com o milagre parabólico da figueira que Jesus amaldiçoou (Mt.21:18-22; Mc.11:12-26). O único vinculo que há entre as duas é o fato de que não havia figos em ambas as árvores. Sabemos que Jesus constantemente usava a figueira como ilustração (Mt.24:32-33; Mc.13:28-29; Lc.21:29-30).

3 – O MOTIVO DA PARÁBOLA
A parábola surgiu depois que alguns analisavam o que Jesus acabara de dizer em (Lc.11:59). Eles estavam a comentar com Jesus sobre a matança dos galileus que foram mortos por Pilatos. Parece que alguns homens da Galiléia tinham subido para Jerusalém para adorar, e foram mortos pelo governador enquanto estavam no ato de oferecer sacrifício e o sangue deles se misturou ao do sacrifício (vs.1). O motivo da matança não se sabe ao certo, mas pressupõe-se que estes estavam revoltosos e se rebelaram contra a opressão romana. Os seus ouvintes pensavam que esta matança foi um juízo de Deus contra os pecadores galileus que tinham mais pecados que aqueles que ficaram vivos. A resposta de Jesus foi taxativa, “pensais que esses galileus eram mais pecadores do que todos os outros galileus, por terem padecido estas coisas ? Não eram, eu vo-lo afirmo: se, porém, não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis”.(Lc.13:2-3)
A parábola ressalta tanto a necessidade do arrependimento quanto a longanimidade de Deus quanto a castigar. O texto enfatiza a importância do arrependimento, e esta ilumina o fato de que a oportunidade não dura para sempre.

4 - PANO DE FUNDO HISTÓRICO

O proprietário da vinha é este certo homem a que Jesus aludiu. Este homem tinha uma figueira em sua vinha, coisa muito comum em Israel. Depois de ter sido plantada, ele teve que esperar três anos até que a árvore começasse a produzir. Por causa da sua localização, deduzimos que a árvore tinha sido muito bem cuidada. Ela ocupava uma certa área do terreno que podia ter sido usado para as videiras. Cada ano a árvore permanecia estéril significava prejuízo para o lavrador. Ela absorvia umidade e nutrientes que serviam para as videiras. A figueira era como uma dívida que aumentava à medida em que se passavam os anos. Outra árvore ou videira poderia ser plantada ali e, dentro de alguns anos, produzirem frutos. Há um tempo limite para a paciência do fruticultor. Então basta !
O proprietário deu instruções ao homem que cuidava da vinha para que cortasse a figueira. Mas ele pediu ao dono que tivesse ainda um pouco mais de paciência. Queria dar mais um ano à árvore, durante o qual cavaria o solo ao seu redor e a adubaria. “Se vier a dar fruto, bem está, se não, mandarás cortá-la”.

5 – A EXPLICAÇÃO DA PARÁBOLA

a) A figueira tinha um papel importante na vida de um israelita, representava prosperidade e abastança –

ERA MUITO COMUM PARA CADA ISRAELITA TER PELO MENOS UMA EM SUA CASA
(1RS 4:25) - E Judá e Israel habitavam seguros, cada um debaixo da sua videira, e debaixo da sua figueira, desde Dã até Berseba, todos os dias de Salomão.

(MQ 4:4) - Mas assentar-se-á cada um debaixo da sua videira, e debaixo da sua figueira, e não haverá quem os espante, porque a boca do SENHOR dos Exércitos o disse.

b) O contrário também era verdadeiro. Quando Deus se desagradava de seu povo por causa de sua infidelidade, tornava isso conhecido, referindo-se à falta de fruto na videira e na figueira – Os textos abaixo elucida essa verdade.

(JR 8:13) - Certamente os apanharei, diz o SENHOR; já não há uvas na vide, nem figos na figueira, e até a folha caiu; e o que lhes dei passará deles.

(OS 9:10) - Achei a Israel como uvas no deserto, vi a vossos pais como a fruta temporã da figueira no seu princípio; mas eles foram para Baal-Peor, e se consagraram a essa vergonha, e se tornaram abomináveis como aquilo que amaram.

(HC 3:17) - Porque ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide; ainda que decepcione o produto da oliveira, e os campos não produzam mantimento; ainda que as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, e nos currais não haja gado;

c) A nação de Israel não correspondeu ao privilégio e o que é pretendido pelo dono da figueira, foi pretendido pelo dono da vinha. Veja contraste dos textos abaixo -

(LC 13:7) - E disse ao vinhateiro: Eis que há três anos venho procurar fruto nesta figueira, e não o acho. Corta-a; por que ocupa ainda a terra inutilmente?

(Isaías Cap: 5)
(IS 5:1) - AGORA cantarei ao meu amado o cântico do meu querido a respeito da sua vinha. O meu amado tem uma vinha num outeiro fértil.
(IS 5:2) - E cercou-a, e limpando-a das pedras, plantou-a de excelentes vides; e edificou no meio dela uma torre, e também construiu nela um lagar; e esperava que desse uvas boas, porém deu uvas bravas.
(IS 5:3) - Agora, pois, ó moradores de Jerusalém, e homens de Judá, julgai, vos peço, entre mim e a minha vinha.
(IS 5:4) - Que mais se podia fazer à minha vinha, que eu lhe não tenha feito? Por que, esperando eu que desse uvas boas, veio a dar uvas bravas?
(IS 5:5) - Agora, pois, vos farei saber o que eu hei de fazer à minha vinha: tirarei a sua sebe, para que sirva de pasto; derrubarei a sua parede, para que seja pisada;
(IS 5:6) - E a tornarei em deserto; não será podada nem cavada; porém crescerão nela sarças e espinheiros; e às nuvens darei ordem que não derramem chuva sobre ela.
(IS 5:7) - Porque a vinha do SENHOR dos Exércitos é a casa de Israel, e os homens de Judá são a planta das suas delícias; e esperou que exercesse juízo, e eis aqui opressão; justiça, e eis aqui clamor.


d) Os desastres não provam uma culpa ou um estado de maior pecaminosidade das vítimas –
JESUS NA PORÁBOLA DIZ:
(LC 13:4) - E aqueles dezoito, sobre os quais caiu a torre de Siloé e os matou, cuidais que foram mais culpados do que todos quantos homens habitam em Jerusalém?
(LC 13:5) - Não, vos digo; antes, se não vos arrependerdes, todos de igual modo perecereis.

JOÃO BATISTA (O QUE PREPAROU O CAMINHO DO SENHOR)
(MT 3:2) - E dizendo: ARREPENDEI-VOS, porque é chegado o reino dos céus.

(MT 3:8) - Produzi, pois, frutos dignos de ARREPENDIMENTO;


JESUS
(MT 4:17) - Desde então começou Jesus a pregar, e a dizer: ARREPENDEI-VOS, porque é chegado o reino dos céus.

(MT 9:13) - Ide, porém, e aprendei o que significa: Misericórdia quero, e não sacrifício. Porque eu não vim a chamar os justos, mas os pecadores, ao ARREPENDIMENTO.

(MC 2:17) - E Jesus, tendo ouvido isto, disse-lhes: Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao ARREPENDIMENTO.

O APÓSTOLO PEDRO
(AT 2:38) - E disse-lhes Pedro: ARREPENDEI-VOS, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados; e recebereis o dom do Espírito Santo;

(AT 3:19) - ARREPENDEI-VOS, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, e venham assim os tempos do refrigério pela presença do SENHOR,

e) A parábola ensina que o homem que não se arrepende perecerá no juízo de Deus – “...se, porém não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis”.(vs.3b)

“...se não vos arrependerdes, todos igualmente perecereis”. (vs.5b

 Após a morte, segue-se o juízo –
(HB 9:27) - E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo,

 Os que sem motivo se encolerizar contra o seu irmão será réu no juízo -
(MT 5:22) - Eu, porém, vos digo que qualquer que, sem motivo, se encolerizar contra seu irmão, será réu de JUÍZO; e qualquer que disser a seu irmão: Raca, será réu do sinédrio; e qualquer que lhe disser: Louco, será réu do fogo do inferno.

 Da medida com que medirdes sereis medido no juízo -
(MT 7:2) - Porque com o JUÍZO com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.

 Os que não se arrependerem de seus pecados por uma palavra evangelística, serão rigorosamente ajuizados -
(MT 10:12) - E, quando entrardes nalguma casa, saudai-a;
(MT 10:13) - E, se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; mas, se não for digna, torne para vós a vossa paz.
(MT 10:14) - E, se ninguém vos receber, nem escutar as vossas palavras, saindo daquela casa ou cidade, sacudi o pó dos vossos pés.
(MT 10:15) - Em verdade vos digo que, no dia do juízo, haverá menos rigor para o país de Sodoma e Gomorra do que para aquela cidade.

f) A parábola ensina que o proprietário da vinha (certo homem) tinha um projeto na sua plantação –
 Ter lucro garantido em tempo determinado
 Fazer com que todas as plantações produzissem seus frutos. Para isso, ele supervisionava a terra, adubava as arvores, etc.

 Assim como Israel tem uma conotação de ligação com uma videira ou uma figueira, Deus esta ligado em Jesus bem como Jesus esta ligada com a sua Igreja. - (vd. Jo.15:1-6: Sl. 1) – Deus é o agricultor e Jesus a videira.

 Paulo diz que era cooperador com Deus. fazia um trabalho de agricultor e os homens que recebia o tratamento do agricultor, eram conotados como lavoura –

Lavoura – (dic. Aur.) - 1. Preparação do terreno para a sementeira ou plantação;

(1CO 3:9) - Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois LAVOURA de Deus e edifício de Deus.

g) A parábola ensina que há um tempo designado por Deus para que o homem se arrependa e produza frutos – Havia um objetivo que dominava o homem que plantou a figueira na vinha, que era o de colher o fruto no seu devido tempo

 Por três anos seguidos o agricultor procurava os frutos ansiosamente – (vs.7)
 Se estivermos ligados com o Senhor, produziremos frutos –
(JO 15:4) - Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim.
(JO 15:5) - Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.
(JO 15:6) - Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem.

(SL 1:3) - Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.

 Há tempo de plantar e tempo de colher –
(EC 3:2) - Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de PLANTAR, e tempo de arrancar o que se plantou;

 A um tempo designado para tudo, até para ser um mestre na palavra de Deus –
(HB 5:12) - Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento.

h) A parábola ensina também que o proprietário mandou o viticultor cortar a figueira que não produzia frutos – “...pode cortá-la; poque está ela ainda ocupando inutilmente a terra ?”. (vs.7b)

UMA PESSOA QUE CHEGA A FALECER, É VISTA NAS ESCRITURAS COM UM CORTE
(Jó:27:8) – “Porque qual será a esperança do ímpio, quando lhe for cortada a vida, quando Deus lhe arrancar a alma ?

(MT 3:10) - E também agora está posto o machado à raiz das árvores; toda a árvore, pois, que não produz bom fruto, é cortada e lançada no fogo.

(MT 18:8) - Portanto, se a tua mão ou o teu pé te escandalizar, corta-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida coxo, ou aleijado, do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno.

(RM 11:22) - Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado.

(1CO 11:30) - Por causa disto há entre vós muitos fracos e doentes, e muitos que dormem.

I) A parábola ensina que o viticultor que cuidava da lavoura pediu ao agricultor que não cortasse – “...Senhor, deixa-a ainda este ano, até que eu escave ao redor dela e lhe ponha estrume. Se vier a dar fruto, bem está; se não, mandarás cortá-la. (vs.8-9)

 A arvore estéril é uma advertência para um crente infrutífero –

(MT 3:8) - Produzi, pois, FRUTOS dignos de arrependimento;

(MT 7:16) - Por seus FRUTOS os conhecereis. Porventura colhem-se uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?

(JO 15:8) - Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos.

(JO 15:16) - Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda.

(GL 5:22) - Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.

J) O apóstolo Paulo nos ensina que um é o que planta, outro o que rega, mas Deus é o que dá o crescimento. Tudo isso está dentro de um tempo designado. Vale salientar que Deus é soberano sobre todas as coisas e muito rico em misericórdia, atribuindo sempre novas chances para que os homens arrependam-se de seus pecados e produzam frutos para a sua glória.

(1CO 3:6) - Eu plantei, Apolo regou; mas Deus deu o crescimento.
(1CO 3:7) - Por isso, nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento.
(1CO 3:8) - Ora, o que planta e o que rega são um; mas cada um receberá o seu galardão segundo o seu trabalho.
(1CO 3:9) - Porque nós somos cooperadores de Deus; vós sois lavoura de Deus e edifício de Deus.