ISSO É DISCIPULADO

Loading...

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

PARÁBOLA DO GRÃO DE MOSTARDA


Por
Romildo Gurgel

LEITURA BÍBLICA: (Mt.13:31-32; Mc.4:30-32; Lc.13:18-19)

INTRODUÇÃO:
A parábola do grão de mostarda em contraste com a do trigo e do joio, é muito curta. Em poucas palavras Jesus descreve o surpreendente tamanho da mostardeira, onde em Mateus e Lucas é descrita como “árvore” e em Marcos como “hortaliça”. Em Mateus, o jardineiro plantou a semente em um campo; em Lucas, numa horta; e em Marcos, na terra. Tanto Mateus como Marcos dizem explicitamente que o grão de mostarda é a menor de todas as sementes, mas crescida, é a maior do que as hortaliças, e se faz árvore. Aquele minúsculo grão, depositado no solo se transforma numa árvore. Um milagre !

PONTO IMPORTANTE PARA INTERPRETAÇÃO DE PARÁBOLAS:

 Nunca se deve fazer um ensino de uma parábola contradizer outra
 Nunca se deve utilizar uma figura de linguagem em dois sentidos diferentes
 Em todas as parábolas da bíblia possui harmonia de concepção e ensino.
 Um perigo que se deve evitar é da popularidade de interpretação, até mesmo a popularidade esta sujeita a correção

I - INTERPRETAÇÕES POPULARES DE ALGUNS AUTORES

1. Arnot – refere-se à parábola como o processo do reino sob a idéia do crescimento vivo.
2. Lange – descreve o grão de mostarda tão pequeno e desprezado pela aparência externa dele, que tomou a forma de servo, ou mais ainda, na de seus discípulos – cresceu rapidamente; e a menor de todas as sementes cresceu e tornou-se um enorme arbusto, muito semelhante a uma árvore. Mas, em conseqüência do seu real crescimento, as aves do céu confundiram a casca com uma árvore, e procuraram aninhar-se em seus ramos.
3. Alford – Precisamos tomar muito cuidado, quando imaginamos as formas externas da Igreja neste reino. A parábola revela o poder autoprogressivo, inerente ao reino do céus, como uma semente que contém em si mesma o princípio da expansão – que penetra em toda a massa humana, gradualmente, pela influência do Espírito Santo.
4. Leslie D. Weatherhead – Diz: Notem que uma grande árvore cresceu de tão pequenina semente. Um desprezado Rabi, num desprezado canto do Império Romano, vindo da desprezada Nazaré, plantou a semente, ele mesmo, e confiou-a a doze homens destreinados, não universitários, de humilde nascimento e pouca influência – e o resultado é a Igreja universal.
5. Fairbairn em (Enciclopédia bíblica imperial) teceu o seguinte comentário: Uma pequena semente, um grande resultado; um obscuro começo e um surpreendente progresso; a menor de todas as sementes e a maior de todas as hostaliças

II – O QUE OS AUTORES ACIMA ERRARAM NA INTERPRETAÇÃO

a) A distinção entre os aspectos interiores e exteriores do reino, ou
b) A concepção divina e o desenvolvimento humano.
c) Estes dois itens não podem ser levados em consideração de uma maneira isolada uma da outra.

III – O QUE FALA A PARÁBOLA, E QUAL É A ÊNFASE?

a) A parábola fala de crescimento rápido na história
b) Fala de apropriação no processo do crescimento (aves dos céus aninham-se na sua sombra ou nos seus ramos), muito interessante isto lembra (João 15). Jesus é a videira, nos somos os ramos e o Pai o viticultor.

IV – A INTERPRETAÇÃO DA PARÁBOLA

A interpretação da parábola, gira em torno de três elementos centrais, a saber: a Semente, a Grande Árvore e as Aves do céu, vamos examiná-los detalhadamente.

1- Grão de Mostarda –

a) Em razão do diminuto tamanho do grão, a semente simboliza pequenos começos, e denota pesos e medidas muito pequenos.
b) Na parábola, a pequena semente não é tanto a Palavra quanto na Parábola do semeador, aqui trata-se de uma sociedade cristã, a Igreja que aparece como a primícias do evangelho. A semente semeada no dia de Pentecostes, era pequena e insignificante – cerca de cento e vinte . (At.1:15-26)
c) Sem dúvida quem semeou o grão de mostarda foi o Filho do homem.
d) O campo em nossa parábola, é o campo do mundo

2 - Grande árvore –

a) Mateus refere-se ao rápido crescimento da semente, que se torna “a maior das hortaliças”, como árvores.
b) Lucas diz “cresceu e se fez árvore. Hortaliças, mesmo que pensemos que possam crescer como uma árvore, são espécies inteiramente diferentes das árvores. O crescimento das árvores é lento; mas o da hostaliça, como a semente de mostarda é anormal, cresce rapidamente.
c) A Igreja organizada erroneamente mudou a ênfase de semente semeada para a árvore que cresce. Em vez de espalhar a sementes com toda a humanidade, a igreja ficou mais preocupada com a elaboração de grandes denominações, instituições e ordens.
d) O Fundador da Igreja nunca quis usar a sua noiva para enfatizar desenvolvimentos humanos. Existem grupos que a ênfase é mais dada na denominação do que em Jesus. As classes judaizantes na época de Jesus eram divididas por haver concepções interpretativas diferentes.
e) O campo é onde a semente é semeada na esfera do mundo; onde a carne o diabo estão unidos em oposição a tudo que concerne a Cristo e a sua igreja.
f) Nabucodonosor é uma chave para a parábola da árvore grande, uma figura do seu poderoso império (Dn.4:10-12, 20-22). A Igreja não é um império de homens, mas o corpo de Cristo, a noiva....

3. Aves do céu –

a) Quando comparamos Escritura com Escritura, encontramos os pássaros, ou aves do céu, que simbolizam Satanás e seu poderio.
Exemplo:

Mt.13: 4 - e quando semeava, uma parte da semente caiu à beira do caminho, e vieram as [aves] e comeram.

Mt.13: 32 - o qual é realmente a menor de todas as sementes; mas, depois de ter crescido, é a maior das hortaliças, e faz-se árvore, de sorte que vêm as [aves] do céu, e se aninham nos seus ramos.

• AS AVES DESCIAM SOBRE AS CARCAÇAS DOS CORPOS DO SACRIFÍCIO E ABRAÃO OS ENCHOTAVA – (Gn.14:11; Dt.28:26)

b) Satanás o príncipe da potestade do ar, que observa a misteriosa disseminação até a sua grandeza, e que sempre buscou abrigar-se nele, o que conseguiu rapidamente, por meio dos falsos irmãos que se tornaram parte da igreja desatenta.
Confira estes textos: (Jd. 3-4 ; v. 10, v.12-16)

c) A parábola expõe o fato que, apesar do rápido crescimento e vasta expansão, ela seria contaminada pela presença e ciladas do príncipe das trevas.

Exemplo:
Mc.7: 18 - Respondeu-lhes ele: Assim também vós estais sem entender? Não compreendeis que tudo o que de fora entra no homem não o pode [contaminar],

Ap.3: 4 - Mas também tens em Sardes algumas pessoas que não [contaminar]am as suas vestes e comigo andarão vestidas de branco, porquanto são dignas.

Ap.14: 4 - Estes são os que não se [contaminar]am com mulheres; porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá. Estes foram comprados dentre os homens para serem as primícias para Deus e para o Cordeiro.

d) A parábola demonstra a distinção entre cristianismo e cristandade. Muitas vezes perdemos de vista a diferença entre igreja organismo com uma organização feita pelo homem. Uma pessoa pode estar no organismo, mas não na organização.
e) A parábola da mostarda corresponde a época destacada da Igreja em Pérgamo (Ap.2) quando a cristandade, primeiramente plantada em mansidão e humildade, assumiu a aparência das grandezas mundanas, e passou de alvo da poderosa perseguição do Império Romano a objeto de sua proteção, no reinado de Constantino, o Grande. Agora a árvore, com a sua elevada altura e longos ramos, tornou-se o emblema da dignidade e grandeza mundanas.
f) Governadores dos gentios começaram a exercer autoridade nos assuntos da igreja (Mt.20:25-28)
g) Ela então abandonou a simplicidade em Cristo – (2Co.11:2-3)
h) Tornou-se grande na terra, e assim é contrária a seu caráter original e propósito e diferente daquele que é o Cabeça, manso e humilde de coração.
i) O imperador constantino, após derrotar o perverso Licínio, 328 d.c., pôs o cristianismo sob o trono de César e os príncipes assumiram o título e a função de sumos sacerdotes.
j) O Dr. Campbell Morgan deu o seguinte resumo do crescimento anormal da igreja em conseqüência da adesão de Constantino no cristianismo: “Foi o dia mais tenebroso em toda a história da igreja. Sua adesão foi uma astuta e hábil manobra política que introduziu com isso muito paganismo e o elevou à posição de poder mundial. Esse é todo o pecado e o erro do papado: a dominação em nome de Cristo, o desejo de governar sobre reis, imperadores e governadores, para ditar-lhes as regras; uma grande árvore espalha os seus ramos. Este espírito permanece com grande força ainda hoje, e procura realizar a vontade de Deus por elevada organização, revestida de poder.

V – EFEITOS DO CRESCIMENTO DETERMINADO PELO HOMEM, E O FATO DE HAVER O ANINHAMENTO DE AVES

ANO E DESVIOS DA DOUTRINA BÍBLICA ______________________________________________________

310---------------REZA PELOS DEFUNTOS
320---------------USO DE VELAS
375---------------CULTO AOS SANTOS E ANJOS
394---------------INSTITUIÇÃO DA MISSA
431---------------INICIA-SE O CULTO À VIRGEM MARIA
500---------------USO DA ROUPA SACERDOTAL
526---------------EXTREMA UNÇÃO
593---------------DOUTRINA DO PURGATÓRIO INTRODUZIDA
600---------------SERVIÇOS EM LATIM E REZAS À MARIA
606---------------BONIFÁCIO III SE DECLARA "BISPO UNIVERSAL" (PAPA)
709---------------OBRIGATORIEDADE DE SE BEIJAR OS PÉS DO PAPA
786---------------ADORAÇÃO DAS IMAGENS E RELÍQUIAS
850---------------USO DA ÁGUA BENTA
890---------------CULTO A SÃO JOSÉ (PROTODULIA)
993---------------CANONIZAÇÃO DOS SANTOS
998---------------JEJUM ÀS SEXTAS-FEIRAS E NA QUARESMA
1003-------------INSTITUIÇÃO DA FESTA DOS "FIÉIS DEFUNTOS"
1074-------------CELIBATO SACERDOTAL (decreto de Bonifácio VII)
1076-------------DOGMA DA "INFALIBILIDADE PAPAL"
1090-------------APARECE O ROSÁRIO
1184-------------INSTITUIÇÃO DA "SANTA INQUISIÇÃO"
1190-------------VENDA DE INDULGÊNCIAS
1200-------------O PÃO FOI SUBSTITUÍDO PELA ÓSTIA
1215-------------CRIOU-SE A CONFISSÃO AURICULAR
1215-------------DOGMA DA TRANSUBSTANCIAÇÃO (por Inocêncio III)
1220-------------ADORAÇÃO DA ÓSTIA
1229-------------PROIBIÇÃO DA LEITURA BÍBLICA
1245-------------USO DAS CAMPAINHAS NA MISSA
1316-------------INSTITUIÇÃO DA "AVE MARIA"
1414-------------ELIMINAÇÃO DO VINHO NA COMUNHÃO
1439-------------DOUTRINA DO PURGATÓRIO DECRETADA
1508-------------"AVE MARIA" OFICIALMENTE APROVADA
1517-------------INICIA-SE A REFORMA
1545-------------A AUTORIDADE BÍBLICA É EQUIPARADA À TRADIÇÃO
1546-------------INTRODUÇÃO DOS LIVROS APÓCRIFOS
1600-------------INVENÇÃO DO ESCAPULÁRIO (Bentinhos)
1854-------------DOGMA DA IMACULADA CONCEPÇÃO DE MARIA
1864-------------CONDENAÇÃO DA SEPARAÇÃO ENTRE IGREJA E ESTADO
1870-------------DECLARADA A INFABILIDADE PAPAL (por Pio IX)
1950-------------DOGMA DA ASCENÇÃO DE MARIA
( presença corporal no céu).
1965-------------MARIA É PROCLAMADA "MÃE DA IGREJA"
TODAS ESTAS DOUTRINAS E DOGMAS FORAM INTRODUZIDAS POR HOMENS, SEM NENHUM FUNDAMENTO BÍBLICO

CONCLUSÃO
Como quem distingue entre cristianismo e cristandade; entre a verdadeira igreja, invisível; temos a garantia do Mestre de que, se a nossa fé for como um grão de mostarda, vamos prevalecer e remover montanhas. Nossa grande tarefa não é cristianizar a sociedade e promover o desenvolvimento de uma grande árvore que brote da menor de todas as sementes. As aves do céu não devem fazer ninhos na árvore de nossa vida cristã.

Pr.Romildo Gurgel