ISSO É DISCIPULADO

Loading...

segunda-feira, 22 de abril de 2013

DESIGREJADOS QUEM SÃO ELES

Romildo Gurgel



Este fenômeno já tem algum tempo no Brasil, ou melhor, sempre existiu, mas atualmente se percebe um considerável aumento de número de pessoas que antes viviam muito bem em suas igrejas e por algum motivo perderam sua motivação de se  congregar e abriram mão do seu convívio.
Isto está acontecendo como resultado de diversos escândalos nas áreas de sexo, dinheiro, proselitismo, política, abuso de poder, lavagem de dinheiro, manipulação da fé sadia, mascaramento de pecados e escândalos dos mais diversos. Os vilões são as igrejas neopentecostais e algumas outras incluindo até mesmo as históricas.
Enxergo isso como uma crise de credibilidade, ética, moral, espiritual e identidade. Claro que não podemos generalizar, pois não são todas que são assim, existem muitos ministros íntegros e igrejas saudáveis em muitos locais.
Os desigrejados são pessoas que conhecem a verdade e muito bem e leem e estudam as escrituras até mesmo muito mais do que os igrejados.  Recentemente ouve uma pesquisa e que a coloco na integra logo abaixo seu resultado, achei bem interessante.
Acredito que o maior desafio da Igreja é recuperar essa gama de gente de extrema capacidade, faculdade perceptiva de observação e discernimento amplo, mas segundo os que escrevem e estudam sobre esse assunto, acham que eles não pretendem retornar facilmente, muito embora, a pesquisa aponte para um possível retorno da maioria deles.  No geral são pessoas feridas, fugitivas de um pastoreio ineficaz, desprezadas, que estão mantendo a sua fé sem os modelos institucionais, são observadoras de escândalos sem muita confrontação, e que saíram do convívio, muito embora eles se converteram, fizeram parte, desfrutaram e aprenderam muito com essas igrejas.
O desigrejado não é o mesmo que se apostatar da fé. Os desigrejados são aqueles que tão somente abandonaram o convívio institucional e mantiveram a sua integridade com Jesus Cristo, são abertos a comunhão, ao compartilhar, e ao mesmo tempo rígidos quanto a disciplina, com certas intolerâncias do pecado mascarado. Eles não voltaram às práticas pecaminosas que antes dominavam suas vidas.
O desigrejado não tem a intenção de abandonar a Cristo e o seu Senhorio, mas daquilo que estão vendo acontecer nas instituições eclesiais por parte de alguns líderes corruptos que estão em plena gestão, ficarem ilesos sem uma confrontação mais rígida,por estes motivos  sentiu-se, o desigrejado,  desconfortável e não mais pastoreado.
Diante desse impasse histórico, os desafios para as igrejas são enormes. Acredito que é uma grande oportunidade da igreja reaprender a parábola da ovelha perdida e do irmão mais velho do filho pródigo, da ovelha que caiu em um poço no dia santificado e não a puderam tirar porque era pecado fazer isso naquele dia. A igreja precisa rever que os peixes pescados devem ser  trazidos para Jesus e serem colocados para dentro d”ele, sua Pessoa, Sua Vontade, o resto é acessório sem peso de valor. Os desigrejados não estão na classificação de perdidos no sentido de desviados de Jesus Cristo e do seu Senhorio, mas se encontrá-los por aí, que não é difícil,  eles não têm a mínima intenção de voltar para um aprisco que fecha-se para uns e abre-se para os que estão no exercício do funcionamento da reunião.  A oportunidade da igreja agora é,  de mostrar o seu rosto de uma forma humilde, sujeita a erros, aberta a mudanças, aberta a comunidade (comum-unidade), aberta ao Espírito Santo, ao diálogo, a transparência financeira, acima de tudo cultivar o perdão sem acepção de pessoas, e ao mesmo tempo confrontar disciplinarmente a liderança que peca enquanto é aplicada a mesma disciplina aos seus membros sem a menor chance de algum pronunciamento e tolerância como ocorre entre eles.  A  oportunidade da igreja agora é focar-se na mutualidade, na mutua lavagem dos pés, da limpeza de uns para com os outros, no perdão, no caminhar mais uma milha, em dar a outra face, a estender a mão ao cansado, a combater a discriminação racial, social, a destrancar os grupos fechados, a oportunizar o menos favorecido, a enxergar e pesquisar aqueles que se aproximam e saem pelas portas dos fundos, acolher com carinho as verdades que serão pronunciadas aos que transitam por ali e  analisá-las sem que haja perda. A Igreja precisa reaprender a  levar a carga uns dos outros, ser igreja, ser serva, ser gente sadia, ser luz que anda na Luz, mas essa a de Cristo, ser sal que salga e não somente temperar os dissabores ,  amar acima de tudo, porque foi amada primeiro, perdoar, porque foi perdoada, abraçar porque foi abraçada,  etc..., e por ai vai.

Veja os dados desta pesquisa logo abaixo que coloco “ipisis litteris”, extraído do site: http://www.genizahvirtual.com/2012/07/desigrejados-consomem-mais-livros.html#ixzz2OvpCSsaH
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial Share Alike


A PESQUISA

Segundo a pesquisa, os desigrejados são o grupo de evangélicos que declararam comprar mais livros por ano, adquirindo quase 45% mais livros por ano do que a média dos evangélicos com vínculo denominacional.

Já em relação ao tipo de envolvimento com a igreja, os pastores são o grupo de respondentes apresentando a maior média de livros comprados por ano, mas ainda um pouco abaixo da média dos evangélicos "sem vínculo".
Os desigrejados são também o grupo com a maior média de participação em eventos não denominacionais, tais como: congressos, encontros, jornadas, seminários, etc.

Segundo o diretor do BEPEC, Danilo Fernandes, estas observações revelam o interesse deste grupo na manutenção de vínculos de comunhão, ainda que alternativos: “Está claríssimo que o desigrejado se mantem no alvo e busca conhecimento da Palavra. Seja qual for a razão que o afastou da comunhão tradicional, “decepção” com líderes e/ou doutrinas, ou qualquer outra razão, o desigrejado é um interessado pelo conhecimento das Escrituras e o aprimoramento teológico, o que é bem mais do que se pode dizer da maioria”, alfineta Fernandes.

A seguir, alguns highlights da pesquisa:
• O tempo médio de Evangelho (conversão) do desigrejado é de 5,6 anos – não são novos na fé, portanto.
• 63% dos respondentes declarou que voltaria a ter comunhão, caso encontrasse uma comunidade saudável – segundo a sua percepção – e que não apresentasse os vícios e as malversações que os afastaram da comunhão.
• 62% são egressos de denominações neopentecostais com teologia atrelada à confissão positiva.
• 5.3% afirmam que foram em algum momento “disciplinados”. Destes, 72% informam que isto se ocorreu na ultima instituição em que estiveram vinculados.
• 29% informa não pretender vinculo com outra igreja novamente. 62% declara acreditar na possibilidade de um novo vinculo e 9% não sabem (ou não quiseram responder).
• 29% do total de desigrejados informa estar mais propenso a vir participar do movimento de igrejas em casa ou de algum tipo de comunidade alternativa.
• 33% informa estar mais propenso a se vincular a outra comunidade tradicional.
• 12% dos respondentes declarou visitar outras comunidades ocasionalmente em busca de um local para congregar.

A pesquisa foi realizada por meios digitais utilizando a mesma ferramenta - AKNA SURVEY - em uso pelo IBOPE e outras grandes empresas. A investigação fez uso do cadastro do BEPEC com 1,8 milhão de evangélicos cadastrados. A metodologia empregou amostragem estratificada proporcional, segundo a participação dos grandes grupos da população evangélica na população brasileira (pentecostais, reformado, tradicionais e neopentecostais). Os respondentes totalizaram 1062 por grupo.

Sendo uma pesquisa ad hoc, os dados completos não estão disponíveis para o público. A divulgação deste resumo foi autorizada pelo contratante para a apresentação, em primeira mão, no evento global do Tribal Generation 2012 pelo diretor do BEPEC, Danilo Fernandes.

A lista de livros que estão nas livrarias são enormes, tenho tido a oportunidade  de comprar alguns e passo agora alistá-los abaixo:

1 - IGREJA. Acabou? - Israel Belo de Azevedo editora Hagnos
2 - Lutando pela Igreja - Ariovaldo Ramos e Ricardo Bitum - Editora Hagnos
3 - Cristianismo Sem Cristo o evangelho alternativo da Igreja atual - Michael Horton - Editora Cultura 
4 - A greja desviada - Charles Swindoll - Editora Mundo Cristão
5 - É Cristã a Igreja Evangélica - Magno Paganelli, prefaciado por Ariovaldo Ramos - Arte Editorial
6 -Dissidentes de Igreja - Alan Correia - Editora Reflexão.
7 - O que os evangélicos não falam - Ricardo Gondin, Editora Ultimato.
8 - Sem Barganha com Deus, Caio Fábio, Fonte Editorial.
9 - Igreja Lugar de Soluções, Israel Alves Ferreira - Editora CPAD
10 - Igreja Lugar de Vida, Naamã Mendes - Editora Betânia
11 - A Igreja que você sempre Quis, Gleen Wagner - Editora Vida
12 - Uma Igreja sem propósitos, Jorge Henrique Barro, - Ed Mundo Cristão
13 - O que estão Estão Fazendo com a Igreja - Augusto Nicodemus - Ed Mundo Cristão
14 - Revolução, Cansados da Igreja? - George Barna - Editora Abba
15 - Decepcionados com a Graça - Paulo Romeiro - Editora Mundo Cristão.
16 - Igreja com propósito - Rick Warren - Ed Vida
17 - A maldição do Cristo Genérico - Eugene H.Peterson - Ed Mundo Cristão
18 - Mudança de Paradigma na Igreja - christian A. Schwarz - Ed.Evangélica Esperança.

Romildo Gurgel

Nenhum comentário:

Postar um comentário