ISSO É DISCIPULADO

Loading...

segunda-feira, 3 de junho de 2013

PARÁBOLA DO TRIGO E DO JOIO (2)

Romildo Gurgel

Leitura Bíblica: (Mateus 13:24-30)

Os discípulos ao ouvirem esta parábola, ficaram intrigados pelo fato de serem dirigidas estas palavras para eles. As incógnitas ficaram formadas no coração do grupo de discípulos. Deixou-os extremamente pesaroso.   Porque Jesus lhes dirigiu esta parábola? O que ele quis transmitir para os seus discípulos?  Na primeira oportunidade  quando iam para casa, o grupo em peso encurralou Jesus com a mesma interrogação:  ‒ Senhor, explica-nos a parábola do Joio no campo (Mt 13:36). Foi quando Jesus começou a sua explicação em (Mt.13:36-43).

Jesus respondeu:
A boa semente é o Filho do homem - (v.37)
O campo é o mundo - (v.38)
A boa semente são os filhos do Reino - (v.38)
O joio são os filhos do maligno – (v.38)
O inimigo que o semeia é o diabo- (v.39)
A colheita é o fim desta era – (v.39)
Os encarregados da colheita são os anjos- (v.39)
O modo da colheita: “Assim como o joio é colhido e queimado no fogo, assim também acontecerá no fim desta era. O Filho do homem enviará os seus anjos, e eles tirarão do seu Reino tudo o que faz tropeçar e todos os que praticam o mal.  Eles o lançarão na fornalha ardente, onde haverá choro e ranger de dentes” (Mt.13:40-42).
Os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai. Aquele que tem ouvidos ouça – (v.43)

Esta parábola interpretada por Jesus deixa bem claro que o diabo é o que semeia camufladamente a semente maligna no campo do Senhor. Esta semente são seres humanos que cumprem o propósito do diabo frutificando através de seus intentos. Eles são os que praticam escândalos e cometem iniquidade, são os que fazem tropeçar os pequeninos do reino, e que fazem toda sorte de malícia, são os que dissolvem e adulteram a palavra da verdade, são os que causam dissimulação entre os irmãos, são os criadores de toda sorte de contendas, são mestres no roubo e na adulteração.  O apóstolo João diz que estes podem ser identificados pela forma que vivem no seu testemunho.

(1 Jo 3:10) – “Nisto são manifestos os filhos de Deus e os filhos do diabo: todo aquele que não pratica justiça não procede de Deus, também aquele que não ama a seu irmão”.

Fora da Igreja, não há a necessidade do joio ser colocado ou semeado. O texto elucida que a boa semente (são pessoas), que foram semeadas no seu campo. Perceba que o campo é a comunidade de Jesus Cristo, e enquanto dormiam, veio o maligno e semeou o joio (pessoas) no meio do trigo. A semeadura do inimigo é planejada por pessoas e com práticas. Jesus falou que o fermento dos fariseus é o da hipocrisia, fingimento e no geral encobrem-se através de práticas que escondem sua verdadeira identidade, pois parecem e muito com as práticas do trigo.  O joio se parece com o trigo  e só se diferencia quando o trigo amadurece e frutifica. Jesus ensinou: “ pelos seus frutos conhecereis” (Mt.7:16). O joio é como um fermento colocado na massa, com o tempo, a massa é alterada e se modifica. O joio se movimenta constantemente no meio da massa, com a intenção de inchá-la. Os filhos do maligno induzem a igreja a práticas bastardas, insinuando a ilegitimidade filial no exercício paterno de Deus. Ele é quem estimula a politicagem, a busca do exercício do poder manipulador do rebanho, é o sustentador de hierarquias religiosas, ele é o organizador de agrupar o joio com a intenção de anular os verdadeiros ministérios pautados pelo dom do Espírito Santo distribuídos pelo filho do trigo em todo o seu campo. Os filhos do maligno são os falsos cristãos, que jamais nasceram de novo pelo poder do Espírito Santo mediante a fé na palavra de Deus. Eles são reconhecidos como cristãos, pelo fato de terem se associado à igreja local, onde o trigo se reúne. Eles se destacam pela conduta moral e exterior como os religiosos faziam questão de se destacarem em praça pública.

CAUTELA NA DEPURAÇÃO

A depuração tem sido a tentação vigente na atualidade.  A grande questão é se o trigo pode ou não depurar? Claro que a disciplina do Senhor começa no próprio rebanho do Senhor, mas quais os critérios que normatizam o rigor disciplinar? Veja que a questão da disciplina não pode e não deve ser a forma de depurar a igreja, isso só compete ao Senhor. Esse ato depurador acontecerá no final quando os anjos ajuntarão o trigo em celeiro e o joio será  amarrado em feixes e queimado (Mt.13:25 e 41-42).
A disciplina na igreja visa a recuperação e não a condenação (cf. 1Co.11;32; 2Tm.2:25; Hb.12:9-11; Mt.18:15-17; 1Co.5:1-5), em nenhuma dessas citações ensina o corte ou a exclusão, mas sim a recuperação.

O CRISTIANISMO VIGENTE

Jesus Cristo é o fundador da igreja. Quem criou o cristianismo não foi Jesus foi o imperador romano chamado de Constantino no terceiro século da era cristã, obrigando todo o império adotar o cristianismo como religião oficial. Desde então, muito joio tem sido colocado no campo de Deus. Trigo e joio se misturam a dois mil anos e ambos são bem parecidos. No entanto uma só instituição é manifestada em dois seres, com a mesma forma, mas com a essência diferente. Uma é divina e outra é diabólica. E ambas ao mesmo tempo se mostram como igreja visível e institucional. Não é de se admirar que verdade e confusão se apresentem tão de perto!  

DESTA PARÁBOLA PODEREMOS AINDA TIRAR O SEGUINTE ENSINO:

No meio da comunidade, “no campo do Senhor”, pode ser apresentado tanto um  verdadeiro cristianismo como também o falso.
O Joio é parte do cristianismo diabólico, mas este está em um local apropriado que a qualquer momento poderá ser transformado, o joio poderá se transformar no mais puro trigo, são pessoas alcançáveis pela evangelização.
A igreja genuína deve ser distinguida do cristianismo. A Igreja é orgânica, fundada por Jesus Cristo “seu campo”, o cristianismo foi planejado e organizado a partir do terceiro século pelo imperador Constantino.
É por meio da Igreja que Jesus Cristo muda o mundo. A Igreja é a única agencia de transformação através do evangelho.
O diabo na promoção do falso cristianismo (evangelho sem cruz, sem arrependimento e novo nascimento) enche o “campo de Jesus” de não convertidos (pessoas que não nasceram de novo).

DESAFIOS DA PARÁBOLA PARA NOSSOS DIAS

- Não compete ao trigo arrancar o joio, isto porque muito das raízes do trigo esta emaranhada com a do joio.
- A igreja deverá rever o caso de cortes dos seus membros. A disciplina bíblica deve ser cultivada entre a comunidade, visando sempre a recuperação e não a exclusão.
- É um desafio enorme o trigo influenciar o joio no aspecto de uma reevangelização acompanhativa até que haja novo nascimento.
- O trigo deve ser identificado como pessoas que foram transformadas pelo poder da palavra de Deus e que passaram pelo novo nascimento, nasceu da semente da incorruptibilidade (cf. 1Pe.1:23; Tg.1:18; Jo.1:13-14; Jo.3:5). São os que foram plantados em Cristo Jesus para produzir trigo (cf. Ef.1:10).
- Somos desafiados a identificar o joio:
- O Joio são aqueles que querem cirandar como trigo (Lc.22:31). Não são regenerados, não nasceram de novo (João 3). Andam segundo o curso deste mundo, movidos pelo príncipe da potestade do ar. (cf. Ef.2:2). Andam segundo a inclinação da carne (Ef.2:3; Gl.5:19-21). Fazem a sua própria vontade, movido pela carne e pela maquinação dos pensamentos (Ef.2:3).
- O joio causa ainda:
- Moléstias – (Jó.1:5-10; Mt.9:33; 12:22)
- Distúrbios mentais – (Mc.5:4-5; Lc.8:35)
- Impureza moral – (Mc.5:2-13; At.5:16; 8:29)
- Dissemina  falsas doutrinas – (2Tss.2:2; 1Tm.4:1)
- É uma oposição aos filhos de Deus no seu progresso espiritual – (Ef.6:12) rouba-lhes os nutrientes necessários para o crescimento sadio.
- Seu líder se apossa do joio quando ver que este quer se posicionar em uma decisão para Cristo Jesus  – (Mt.4:24; Mc.5:8-14; Lc.8:2; At.8:7; At.16:16)
- São reprodutores de toda sorte de mentira – (Jo.8:44; 2Co.11:3)
- São promotores de seduzir a tentação – (Mt.4:1)
- São os que estimulam ao roubo (Mt.13:19)
- São atormentadores – (2Co.12:21)
- São os que  estorvam os santos (incomoda, dificulta) – (Zc.3:1; 1Tss.2:18; Ef.6:12)
- São os que foram colocados para passarem como peneira como trigo – (Lc.22:31)
- São  imitadores da verdade – (2Co.11:14-15; Mt.13:25)
- São acusadores do trigo – (Ap.12:9-10)
- São como feras devoradoras – (Jo.8:44; 1Pe.5:8)

Romildo Gurgel

FONTE:
1 - Palestras em Teologia Sistemática por Henry Clarence Thiessen
2 - As parábolas de Jesus – Simon J. Kistemaker
3 – Cristianismo Diabólico – Sergisfredo Wanderley
4 – Bíblia NVI
5 – Bíblia Vida Nova – Editora Vida
6 – Chave Bíblica - SBB

Nenhum comentário:

Postar um comentário