ISSO É DISCIPULADO

Loading...

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

--> PARÁBOLA DOS MENINOS BRINCANDO NA PRAÇA

Pelo Pr.Romildo Gurgel

Leitura Bíblica: (Mt.11:16-19; Lucas 7:31-35)

INTRODUÇÃO:
A cena da parábola foi extraída diretamente do cotidiano. Jesus teve uma visão conhecida das crianças inventando suas brincadeiras e representando-as. O faz-de-contas podia, muito bem, ter acontecido assim: vários meninos e meninas estavam brincando na praça, provavelmente vazia. Algumas crianças queriam brincar de casamento. Além da noiva e do noivo, precisavam de um tocador de flauta, pois um grupo deveria dançar na festa. Embora o noivo e a noiva estivessem prontos, e uma das crianças providenciasse a música de flauta, o resto das crianças se recusou a dançar. Não estavam interessados em brincar de casamento.
Em outro exemplo, algumas crianças queriam representar um funeral. Uma delas tinha que se fingir de morta, enquanto outras cantavam um canto fúnebre. O resto tinha que chorar – mas se recusaram. Não queriam participar daquela brincadeira fúnebre. As crianças que tinham inventado as brincadeiras sentaram-se e disseram aos outros:
Nós tocamos flauta,
E não dançastes;
Entoamos lamentações,
E não chorastes.

I. Interpretação da parábola

1. A parábola gira em torno de Jesus comparar e assemelhar sua geração a crianças brincando na praça.

2. Os personagens da parábola são:
- Crianças - Devemos observar a esperança deste povo na época
- João Batista - “foi aquele que entoou lamentações” mas não choraram
- O Filho do homem – “foi aquele que tocou flauta” para arranjar uma noiva para si, mas não dançaram.

a)CRIANÇAS – São os judeus da época de Jesus que estavam esperando a manifestação do messias para a libertação do cativeiro e domínio Romano.
- O império romano foi o único que não levou nenhum judeu cativo para Roma. Antes, o imperador construiu suas bases na própria região dos judeus e da extensão do seu domínio elegendo governadores nas principais cidades. – (Lc.3:1)
- A moeda que circulava tinha a efígie de César (Mt.22:17-21), onde concluímos que o cativeiro era político.
- Os judeus acusam Jesus diante de Pilatos, afirmando que ele se diz ser o messias, o rei – (Lc.23:1-7)
- Todo aquele que se fazia rei, era contra César – (Jo.19:12)
- Os judeus diante da acusação, disse que tinham o rei, que era César – (Jo.19:12-15)
- César no domínio, fez um recenseamento do mundo - Lc.2:1
- Paulo e Silas pregam em Tessalônica e se hospedam na casa de Jasom, onde este é arrastado para as autoridades, afirmando: estes que tem transformado o mundo chegou até nós – (At.17:1-8)
- Os judeus esperavam um Messias que lhes restaurasse o reino a Israel desse cativeiro tão sofisticado. - (At.1:6)
 Este era o quadro geral dos judeus na época de Jesus

b) JOÃO BATISTA –
- Seu nascimento foi predito – (Is.40:1-11; Mt.4:5)
- Nasceu em resposta a uma oração por uma mãe estéril - (Lc.1:13)
- João se vestia de pele de camelo, não tinha interesse por comida e bebida, comia gafanhotos e mel silvestre – (Mt.3:4)
- Vivia no deserto e batizava as pessoas para o arrependimento – (Mc.1:4)
- A mensagem de João batista era um convite ao arrependimento, e o batismo. O batismo é como um símbolo da morte e ressurreição do Senhor – (At.13:24; Rm.6:4; Cl.2:12; 1Pe. 3:18-21)
- João por ter um comportamento isolado e vida estranha e peculiar, não comendo e bebendo segundo os costumes, os opositores diziam: “tem demônio”, isto é, queriam dizer que estavam endemoninhado.(Lc.7:33)
- Segundo a parábola, as crianças bolaram uma brincadeira de um funeral, que tipifica a mensagem de João Batista (seputamento pelo batismo). As crianças depois de fazerem toda a encenação de um sepultamento, as outras não lamentaram e nem choraram.(Lc.7:32)

c) FILHO DO HOMEM
- O Filho do homem é Jesus
- Cristo não é somente o salvador, mas o amigo dos pecadores, que se condói dos seus problemas e sente a sua dor.
- Ele tem o prazer de sentar-se com você e cear com você – (Ap.3:20)
- Jesus ao se fazer carne, Ele veio buscar uma noiva para si, e esta noiva é separa pelo batismo – (Jo.3:22-30; Rm 6:)
- A noiva se prepara no presente, para um casamento no futuro, bodas do Cordeiro (Ap.19:7)
- A aparência da noiva do Cordeiro (uma grande cidade cheia de edifícios – (Ap.21:9-27)
- Os discípulos mostram o edifício do templo a Jesus – ( Mc.13:1-2)
- Jesus disse que edificaria a sua casa em três dias –
- Paulo diz que somos edifício de Deus – (1Co.3:9)
- Temos que avaliar como estamos levantando o edifício – (1Co.3:12)
- O nosso edifício tem que crescer de uma maneira ajustada para templo do Senhor – (Ef.2:21)
- De acordo com a parábola : “tocar flauta, é um ritual de um casamento”- (Lc.7:32)
- Um casamento na época de Jesus era regado de muito vinho e danças – (João 2:1-12)
- Cristo e João Batista “tocaram flauta” para pregar o evangelho do reino, mas os fanáticos judeus não dançaram pelo gozo da salvação; João e Cristo “entoaram lamentações” para pregar o arrependimento, mas os fanáticos judeus não “prantearam”, pela dor de seu pecado. A justiça de Deus exigia que se arrependessem, mas não quiseram obedecer; a graça de Deus lhes proporcionou salvação, mas não a quiseram receber. (transcrito dos evangelhos: Versão Restauração – Editora Arvore da Vida pag. 67/ § 17.1)
- Para João Batista, que não comia e bebia, quando receberam o convite para prantear, disseram: “Tem demônio” – (Mt.11:18)
- Para Jesus quando chamou para noivar, disseram: “Eis aí um glutão e bebedor de vinho, amigo dos publicanos e pecadores”. – Mt.11:19)

-“a sabedoria é justificada por suas obras”- (Mt.11:19d)
- A sabedoria é Cristo – (1Co.1:24,30)
- O que quer que Cristo tenha feito foi pela sabedoria de Deus, que é Ele mesmo. Essa sabedoria foi justificada, vindicada, pelas Suas obras sábias, pelos Seus feitos sábios. (transcrito dos evangelhos: Versão Restauração – Editora Arvore da Vida pag. 67/ § 19.3)

A PARÁBOLA EM SI, SERVE DE ADVERTÊNCIAE PARA MOSTRAR O DESCASO DOS JUDEUS A CHAMADA PARA SER IGREJA (NOIVA) DO CORDEIRO

ALGUNS VERSÍCULOS QUE REVELAM ADVERTÊNCIA E DESCASO
Mt.22: 3) - Enviou os seus servos a chamar os convidados para as [bodas], e estes não quiseram vir.
(Mt.22:4) Depois enviou outros servos, ordenando: Dizei aos convidados: Eis que tenho o meu jantar preparado; os meus bois e cevados já estão mortos, e tudo está pronto; vinde às [bodas].
(Mt.25: 10 ) - E, tendo elas ido comprá-lo, chegou o noivo; e as que estavam preparadas entraram com ele para as [bodas], e fechou-se a porta.
(Lc.12: 36) e sede semelhantes a homens que esperam o seu senhor, quando houver de voltar das [bodas], para que, quando vier e bater, logo possam abrir-lhe.
- (Lc.14: 8 ) - Quando por alguém fores convidado às [bodas], não te reclines no primeiro lugar; não aconteça que esteja convidado outro mais digno do que tu;

BIBLIOGRAFIA

1. Os evangelhos – Versão Restauração , Editora Arvore da Vida
2. Biblia Vida Nova – Edições Vida Nova
3. Boyer O.S. Pequena Enciclopédia Bíblica – Editora Vida, 1978, 21° edição – São Paulo
4. As parábolas de Jesus – Simon J. Kistemaker – Casa Editora Presbiteriana , 1° Edição – São Paulo.
5.Todas as Parábolas da Bíblia – Herbert Lockyer – Editora Vida ; 3° impressão 2001 – São Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário