ISSO É DISCIPULADO

Loading...

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

--> PARÁBOLA DOS DOIS FILHOS

Pr.Romildo Gurgel

LEITURA BÍBLICA: (Mt. 21:28-32)

I – INTRODUÇÃO
Ao estudar as parábolas, observamos que Jesus tinha como ouvinte grandes multidões, os seus discípulos em particular, abertamente no templo com os principais sacerdotes e anciãos do povo.

II - PRINCIPAIS MOTIVOS QUE LEVOU JESUS TECER ESTA PARÁBOLA

a) Na ocasião em que os principais sacerdotes e os anciãos do povo questionaram a autoridade de Jesus –
(Mt.21: 23) - Tendo Jesus entrado no templo, e estando a ensinar, aproximaram-se dele os principais sacerdotes e os anciãos do povo, e perguntaram: Com que autoridade fazes tu estas coisas? e quem te deu tal autoridade?
24 Respondeu-lhes Jesus: Eu também vos perguntarei uma coisa; se ma disserdes, eu de igual modo vos direi com que autoridade faço estas coisas.
25 O batismo de João, donde era? do céu ou dos homens? Ao que eles arrazoavam entre si: Se dissermos: Do céu, ele nos dirá: Então por que não o crestes?
26 Mas, se dissermos: Dos homens, tememos o povo; porque todos consideram João como profeta.
27 Responderam, pois, a Jesus: Não sabemos. Disse-lhe ele: Nem eu vos digo com que autoridade faço estas coisas.

 As autoridades religiosas queriam capturá-lo com uma declaração de blasfêmia.
 Respondendo-lhe com uma pergunta, Jesus coloca seus oponentes em um dilema.
 Veja que este questionamento foi no momento em que Jesus ensinava no templo - vs.23

b) Esta questão de autoridade havia sido também especulada antes em uma sinagoga em Cafarnaum
(Mc.1: 27) - E todos se maravilharam a ponto de perguntarem entre si, dizendo: Que é isto? Uma nova doutrina com [autoridade]! Pois ele ordena aos espíritos imundos, e eles lhe obedecem!

AUTORIDADE QUANDO ENSINAVA DOUTRINAS
(Lc.4: 32) - e maravilharam-se da sua doutrina, porque a sua palavra era com [autoridade].

III – NOTEMOS A SEMELHANÇA DOS FILHOS

a) Tiveram os mesmos pais,
b) O mesmo ensino,
c) A mesma criação
d) O mesmo serviço
e) E a mesmo pedido foi solicitado a ambos.

IV - O QUE ENSINA A PARÁBOLA?
a)A parábola trata duas classes de pessoas: O primeiro filho um filho arrependido, e o segundo um filho impenitente .
SOBRE OS FILHOS IMPENITENTES O SENHOR ESPERA:
FRUTOS DE ARREPENDIMENTO
(Mt.3 8) - Produzi, pois, frutos dignos de [arrependimento],

(Lc.3 8) - Produzi, pois, frutos dignos de [arrependimento]; e não comeceis a dizer em vós mesmos: Temos por pai a Abrãao; porque eu vos digo que até destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abrãao.

A ALEGRIA NOS CÉUS ESTA PARA QUEM SE ARREPENDE
(Lc.15: 7) - Digo-vos que assim haverá maior alegria no céu por um pecador que se arrepende, do que por noventa e nove justos que não necessitam de [arrependimento].

A TRISTEZA SEGUNDO DEUS É PARA ARREPENDIMENTO
(2Co.7: 10) - Porque a tristeza segundo Deus opera [arrependimento] para a salvação, o qual não traz pesar; mas a tristeza do mundo opera a morte.

b)O primeiro disse que não ia, e foi, o segundo disse que ia e não foi. Isto ensina que afirmações sem reflexão, resulta em descompromisso e rebeldia.

A NOSSA PALAVRA TEM QUE SER SIM SIM E NÃO NÃO
(Mt.5: 37) - Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; não, não; pois o que passa daí, vem do Maligno.

(2C.1: 17) - Ora, deliberando isto, usei porventura de leviandade? ou o que delibero, faço-o segundo a carne, para que haja comigo o [sim, sim] e o não?

(Tg.5: 1) - Mas, sobretudo, meus irmãos, não jureis, nem pelo céu, nem pela terra, nem façais qualquer outro juramento; seja, porém, o vosso [sim, sim], e o vosso não, não, para não cairdes em condenação.

c)Ensina que a pessoa que se recusa a fazer o que lhe é pedido, mas que, mais tarde, muda de idéia e faz a tarefa, é melhor que aquela que promete cuidar de suas obrigações, mas nunca as realiza. Isto é arrependimento.

d)Ensina que o que faz a vontade do Pai é o que obedece aos pedidos do Pai.

e)Ensina que os principais sacerdotes e os anciãos não podiam se esconder atrás de uma falsa ignorância fingida.

f)Ensina que o ensino no V.T. e do N.T. é obedecer a palavra de Deus, escutar a sua voz e fazer a sua vontade. (1Sm.15:22; Jo.15:14).

V - A EXPLICAÇÃO DA PARÁBOLA
1 – O Pai – Seria um retrato de Deus, como também na parábola do Filho Pródigo. (Lc.15:11-32)

2 – Os filhos – Podem ser divididos em dois: Obedientes e desobedientes.
OBEDIENTES são classificados como coletores de impostos/meretrizes que se arrependeram.
DESOBEDIENTES: São classificados com os religiosos como religião organizada, mas que apesar da organização, não faziam a vontade de Deus. O ajuntamento não promovia um ambiente de arrependimento, mas um formalismo, dogmático religioso que não cumpriam a vontade de Deus.

3 – Observe que o Pai se dirige ao primeiro filho e pede para ele trabalhar
a)O PRIMEIRO FILHO:
(Mt.20:28) – Mas que vos parece ? Um homem tinha dois filhos e, dirigindo-se ao primeiro, disse: Filho, vai trabalhar hoje na minha vinha.
29 Ele, porém, respondendo disse: Não quero. Mas, depois, arrependendo-se, foi.

OBS: Nas tradução mais novas, que chegam mais próximas do original, a resposta do primeiro filho é trocada pelo segundo.

Exemplo:

Bíblia Vida Nova –

(Mt.21:29) – Ele respondeu: Sim, senhor; porém não foi

Na Bíbia de Estudos Plenitude diz:

(Mt.21:29) – Ele, porém, respondendo disse: Não quero. Mas, depois, arrependendo-se, foi

 Isto em si não altera a interpretação da parábola e os ensinos que poderemos extrair dela. Isto ocorreu, na ocasião da tradução feita pelos originais mais recentes. Portanto, vamos interpretar considerando o que diz a Bíblia de Estudos Plenitude.

Que aconteceu com o primeiro filho ?

a)Ao receber o convite do Pai para trabalhar na vinha, negou o trabalho..
b)Ao ouvir João Batista sobre o arrependimento, arrependeu-se e decidiu ir trabalhar na vinha – vs.32

O que retrata o primeiro filho ?
a)O primeiro filho é a personificação dos coletores de impostos e das meretrizes que viviam uma vida de pecado e se recusavam a fazer a vontade de Deus. Mas, quando veio João Batista, pregando o batismo do arrependimento para remissão de pecados, os marginalizados pela moral e pela sociedade se arrependeram, creram, e entraram no reino de Deus. Assim fizeram a vontade do Pai.

b) Este filho foi o que fez a vontade do Pai – vs.31

c) Revelação das escrituras sobre a vontade de Deus

QUE VENHA O REINO E SEJA FEITA A VONTADE
(Mt.6: 10) - venha o teu reino, seja feita a tua [vontade], assim na terra como no céu;

SÓ PARA OS QUE FAZEM A VONTADE É QUE SERÃO APTOS PARA ENTRAR NO REINO
(Mt.7: 21) - Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a [vontade] de meu Pai, que está nos céus.

OS QUE FAZEM A VONTADE DE DEUS É QUE É DA FAMÍLIA DE DEUS
(Mt.12: 50) - Pois qualquer que fizer a [vontade] de meu Pai que está nos céus, esse é meu irmão, irmã e mãe.

(Mc.3: 35)- Pois aquele que fizer a [vontade] de Deus, esse é meu irmão, irmã e mãe.

O SERVO QUE SOUBE A VONTADE DE DEUS E NÃO FEZ CONFORME A SUA VONTADE SERÁ CASTIGADO COM MUITOS AÇOITES
(Lc.12: 47) - O servo que soube a [vontade] do seu senhor, e não se aprontou, nem fez conforme a sua [vontade], será castigado com muitos açoites;

A COMIDA QUE SATISFAZ É FAZER A VONTADE DE DEUS
(Jo.4: 34) - Disse-lhes Jesus: A minha comida é fazer a [vontade] daquele que me enviou, e completar a sua obra.

TODOS OS QUE QUEREM FAZER A VONTADE DE DEUS, DEVEM SABER QUE A DOUTRINA QUE JESUS ENSINA É DE DEUS
(Jo.7: 17) - Se alguém quiser fazer a [vontade] de Deus, há de saber se a doutrina é dele, ou se eu falo por mim mesmo.

DEUS HOUVE AQUELES QUE É TEMENTE A ELE E FAZEM A SUA VONTADE
(Jo.9: 31) - sabemos que Deus não ouve a pecadores; mas, se alguém for temente a Deus, e fizer a sua [vontade], a esse ele ouve.

O HOMEM QUE É SEGUNDO CORAÇÃO DE DEUS É O QUE FAZ TODA A SUA VONTADE
(At.13: 22) - E tendo deposto a este, levantou-lhes como rei a Davi, ao qual também, dando testemunho, disse: Achei a Davi, filho de Jessé, homem segundo o meu coração, que fará toda a minha [vontade].

É PRECISO HAVER RENOVAÇÃO DE MENTES PARA SE EXPERIMENTAR A VONTADE DE DEUS
(Rm.12: 2) - E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita [vontade] de Deus.

JESUS DISSE QUE DESCEU DO CÉU NÃO PARA FAZER A SUA PROPRIA VONTADE
(Jo.6: 38) - Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.
39 E a vontade do que me enviou é esta: Que eu não perca nenhum de todos aqueles que me deu, mas que eu o ressuscite no último dia.

b)O SEGUNDO FILHO:
(Mt.20:30) – E, dirigindo-se ao segundo, falou-lhe de igual modo; e, respondendo ele, disse: Eu vou, senhor; e não foi

O que aconteceu com o segundo filho ?

a) Ao receber o convite para trabalhar, disse que iria, mas não foi.
b) Estes ouviram de igual modo a João Batista e não vieram a acreditar em tudo que ele dissera sobre o arrependimento.
c) Este não fez a vontade do Pai, embora afirmasse que iria fazê-lo – vs.31
d) Este filho revelou egoísmo, desobediência com afirmação de obediência, preguiçoso e preocupado com seus próprios interesses.

O que retrata o segundo filho ?

a) O segundo filho retrata a atitude dos líderes religiosos dos dias de Jesus.
b) São aqueles que fazem tudo para serem vistos pelos homens – (Mt.6:1)
c) Oram em pé nas sinagogas e nas ruas para serem vistos pelos homens – (Mt.6:5)
d) São exibidores dos seus filatérios –(Mt.23:5)
Filactério - No judaísmo, par de pequenas caixas de couro usadas ritualmente, amarradas ao braço e à testa por correias, tb. de couro, e que contêm trechos das Escrituras.

e) São os que amam os primeiros lugares nas sinagogas – (Lc.11:43)
f) As saudações nas praças – (Lc.11:43)
g) E o ser chamados de mestres pelos homens – (Mt.23:5-7)
h) São aqueles que não praticam o que pregam – (Lc.7:29-30)

PONTO INTERESSANTE

a) Assim como na parábola dos meninos brincando na praça, utiliza o testemunho de João Batista, esta parábola também, ambos as parábolas é um convite para o arrependimento. – (Vd. Lc.7:31-35)

BIBLIOGRAFIA

A BÍBLIA EXPLICADA . CPAD, 13a Edição, 1974. Rio de Janeiro/RJ

BÍBLIA DE ESTUDO PLENITUDE. Sociedade Bíblica do Brasil

OS EVANGELHOS – Editora Arvore da Vida, primeira edição, 1999. São Paulo/SP

KISTEMAKER. Simon J. As Parábolas de Jesus. Casa Publicadora Presbiteriana. 1a Edição 1992. São Paulo/SP

Um comentário: