ISSO É DISCIPULADO

Loading...

domingo, 27 de fevereiro de 2011

PARÁBOLA DA FIGUEIRA



Atualizado em 19/02/2013


Por
Romildo Gurgel

LEITURA BÍBLICA: (Mt.24:32-35; Mc.13:28-31;  Lc.21:29-33)

INTRODUÇÃO:

Já estudamos nas três ultimas parábolas anteriores, a parábola dos dois filhos (Mt.21:28-32), parábola dos lavradores maus (Mt.21:33-46) e a Parábola das bodas. Esta série de três parábolas foram ensinadas quando Jesus se encontrava no templo com os seus discípulos, os sacerdotes e ancião dos povos (Mt.21:23). E agora, após aquela reunião ao sair do templo os discípulos para compreender melhor acerca do que Jesus dissera no templo, começam a mostrar-lhe as construções, com o propósito de extrair algum comentário do seu mestre (Mt.24:1). A partir daí, Jesus tece o sermão profético sobre a destruição do templo, fala sobre os princípios das dores, sobre a grande tribulação, sobre a sua segunda vinda após a grande tribulação e também compôs esta parábola que passaremos a estudá-la.

1 - PANO DE FUNDO HISTÓRICO

Provavelmente Jesus ensinou esta parábola durante a primeira semana de abril, exatamente quando as árvores começam a dar os primeiros sinais de vida. Quando os seus ramos se renovam e as folhas brotam, esta era a linguagem que os seus ouvintes entendiam. A questão era se o povo era capaz de interpretar este sinal espiritualmente. Certa vez Jesus censurou os fariseus por serem incapazes de interpretar o aspecto do céu; porém não serem capazes de discernir os sinais dos tempos (Mt.16:2-3). Saberiam seus discípulos reconhecer o sinal da figueira ao florescer ?

2 – INTERPRETAÇÃO

A) Comparação do texto de Mateus e Lucas
 No texto de Mateus, a ênfase na interpretação esta na figueira
(Mateus 24:32) - Aprendei, pois, esta parábola da figueira: Quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.

 Já em Lucas, a ênfase esta na figueira e em todas as arvores
(Lucas 21:29) - E disse-lhes uma parábola: Olhai para a figueira, e para todas as árvores;

 Essa ilustração simples tirada da natureza, assegurou aos seus discípulos judeus que, após o inverno do desprazer”, que sua nação tinha experimentado, haveria um verão de bênção nacional. Israel ainda se tornará a sua glória. No entanto, Lucas acrescenta quatro palavras à parábola: “Para todas as arvores”. Atualmente com o renascimento de Israel (em 1948), há também, paralelamente, uma manifestação de nacionalismo por todo o mundo. Povos que desde há muito não eram identificados como nações, agora reivindicam e recebem independência nacional. (Todas as parábolas da Bíblia, Ed. Vida, pg.268-269)

 Atualmente um povo que esta correndo atrás da sua independência é o povo palestino.
 A ênfase dada no texto de Lucas, não é somente Israel (1948) , que é data que a figueira brotou, mas também todas as arvores, ou seja, outros povos que ainda faltam brotar, que estão correndo atrás da sua independência.

B) O SIGNIFICADO DE “QUANDO VIRDES ACONTECER TODAS ESTAS COISAS”

(Mateus 24:33) - Igualmente, quando virdes todas estas coisas, sabei que ele está próximo, às portas.

(Lucas 21:31) - Assim também vós, quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o reino de Deus está perto.

Diz respeito a:
• (Mt.24:1-2) – Destruição do templo
• (Mt.24:3-14) – Princípio de dores
• (Mt.24:15-28) – A grande tribulação
• (Mt.24:29-31) – Manifestação do filho do homem

C) O SIGNIFICADO DA PALAVRA “NÃO PASSARÁ ESTA GERAÇÃO” –

(Mateus 24:34) - Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam.

 Todas estas coisas preditas no sermão sobre o final dos tempos vão muito além do tempo dos contemporâneos de Jesus. O termo "esta geração" não é como alguns se arriscam em contar como 40 anos para o povo judeu, 100 anos para o povo gentio. A contagem diz respeito ao período da graça, ou seja, a contagem da geração da igreja, porta esta que será fechada na volta de Jesus, ou seja, com o arrebatamento da Igreja, onde se dará o início da grande tribulação .

D) O SIGNIFICADO DA IMAGEM DA FIGUEIRA FLORESCENTE

• Diz respeito a um período de bênção –
(JL 2:22) - Não temais, animais do campo, porque os pastos do deserto reverdecerão, porque o arvoredo dará o seu fruto, a vide e a figueira darão a sua força.
(JL 2:23) - E vós, filhos de Sião, regozijai-vos e alegrai-vos no SENHOR vosso Deus, porque ele vos dará em justa medida a chuva temporã; fará descer a chuva no primeiro mês, a temporã e a serôdia.
(JL 2:24) - E as eiras se encherão de trigo, e os lagares transbordarão de mosto e de azeite.
(JL 2:25) - E restituir-vos-ei os anos que comeu o gafanhoto, a locusta, e o pulgão e a lagarta, o meu grande exército que enviei contra vós.
(JL 2:26) - E comereis abundantemente e vos fartareis, e louvareis o nome do SENHOR vosso Deus, que procedeu para convosco maravilhosamente; e o meu povo nunca mais será envergonhado.
(JL 2:27) - E vós sabereis que eu estou no meio de Israel, e que eu sou o SENHOR vosso Deus, e que não há outro; e o meu povo nunca mais será envergonhado.
(JL 2:28) - E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões.
(JL 2:29) - E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito.
(JL 2:30) - E mostrarei prodígios no céu, e na terra, sangue e fogo, e colunas de fumaça.
(JL 2:31) - O sol se converterá em trevas, e a lua em sangue, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR.
(JL 2:32) - E há de ser que todo aquele que invocar o nome do SENHOR será salvo; porque no monte Sião e em Jerusalém haverá livramento, assim como disse o SENHOR, e entre os sobreviventes, aqueles que o SENHOR chamar.

• A ênfase da parábola não esta na calamidade que vai ocorrer antes que venha o reino, mas na exultação do reino
(Lucas 21:28) - Ora, quando estas coisas começarem a acontecer, olhai para cima e levantai as vossas cabeças, porque a vossa redenção está próxima.

(Lucas 21:31) - Assim também vós, quando virdes acontecer estas coisas, sabei que o reino de Deus está perto.
 O termo redenção e reino de Deus, neste contexto, diz respeito a consumação da salvação

E) O DIA E A HORA NINGUÉM SABE
(Mateus 24:36) - Mas daquele dia e hora ninguém sabe, nem os anjos do céu, mas unicamente meu Pai.

 Nunca se sabe quando alguém está para ser levado , por morte súbita, ou arrebatado quando Cristo voltar. Um total de seis parábolas foi deixado para nós como ilustração para termos uma atitude de vigilância

1 – O porteiro –
(Marcos 13:35) - Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã,
(Marcos 13:36) - Para que, vindo de improviso, não vos ache dormindo.
(Marcos 13:37) - E as coisas que vos digo, digo-as a todos: Vigiai.

2 – O pai da família –
(Mateus 24:43) - Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria minar a sua casa.
(Mateus 24:44) - Por isso, estai vós apercebidos também; porque o Filho do homem há de vir à hora em que não penseis.

3 – O servo fiel –
(Mateus 24:45) - Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o sustento a seu tempo?
(Mateus 24:46) - Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim.
(Mateus 24:47) - Em verdade vos digo que o porá sobre todos os seus bens.
(Mateus 24:48) - Mas se aquele mau servo disser no seu coração: O meu senhor tarde virá;
(Mateus 24:49) - E começar a espancar os seus conservos, e a comer e a beber com os ébrios,
(Mateus 24:50) - Virá o senhor daquele servo num dia em que o não espera, e à hora em que ele não sabe,
(Mateus 24:51) - E separá-lo-á, e destinará a sua parte com os hipócritas; ali haverá pranto e ranger de dentes.

4 – As dez virgens – (Mt. 25:1:13)
5 – Os talentos – (Mt.25:14-30)
6 – As ovelhas e os bodes – (Mt.25:31-46)

 Vigiar, segundo o que se vê aqui, inclui o fiel exercício de todas as virtudes cristãs: aguardar a volta de Cristo, cumprindo o dever, desenvolvendo talentos, e amparando os aflitos. (Comentário extraído da Bíblia vida nova, NT pg.36 nota de roda pé)

F) O MUNDO SERÁ PEGO DE SURPRESA
(Mateus 24:38) - Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca,
(Mateus 24:39) - E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.

• Uns serão deixados e outros tomados –
(Mateus 24:40) - Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro;
(Mateus 24:41) - Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra.
(Mateus 24:42) - Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.

BIBLIOGRAFIA

KISTEMAKER, Simon J. As Parábolas de Jesus. Casa Editora Presbiteriana. 1a Edição – 1992. São Paulo – SP

LOCKYER, Herbert. Todas as Parábolas da Bíblia. Editora Vida. 3a Edição 2001. São Paulo – SP.

Os Evangelhos – Versão restauração. Editora Arvore da Vida. 1a Edição 1999 . São Paulo – SP
Bíblia Vida Nova – Edições Vida Nova. 2a Edição 1997. São Paulo – SP

A Bíblia Explicada – CPAD

Bíblia em Bytes – Bertolini Informática

Elaborado por
Romildo Gurgel

PARÁBOLA DO TESOURO ESCONDIDO NO CAMPO



Romildo Gurgel

LEITURA BÍBLICA:

(Mt.13:44)
O reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido no campo, que um homem, ao descobri-lo, esconde; então, movido de gozo, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo.

I. HISTÓRICO DA COMPOSIÇÃO DA PARÁBOLA

As crianças muitas vezes, fantasiam que em algum lugar, em alguma casa velha, ou celeiro, vão descobrir um tesouro enterrado que ninguém viu. Quando se viaja pelo mundo, se ouve histórias desta natureza que em determinados locais estão enterrados tesouros em ilhas, fazendas e mansões. Quem os enterrou e a quanto tempo esta alí, são perguntas que viraram história de todas as naturezas.
Conta-se que na antiga palestina, um país freqüentemente em guerra, as pessoas achavam mais seguro guardar seu tesouro, ou parte dele, no campo do que em suas casas. Em casa os ladrões podiam roubá-lo; no campo ficaria em maior segurança. Mas, se o proprietário morresse na guerra, levaria para o túmulo o seu segredo, e ninguém, jamais, poderia saber onde enterrara o tesouro.
O homem que encontrou tal tesouro podia ser um empregado ou mesmo um arrendatário daquele campo. Talvez tivesse arando, cavando buracos, ou plantando uma árvore. De qualquer modo, ele bateu em alguma coisa dura debaixo da terra, cujo som não parecia o de uma pedra. Ele cavou e encontrou um tesouro. O homem ficou maravilhado, nunca tinha visto um tesouro tão valioso. Tudo aquilo poderia ser seu, se comprasse o campo. Em segundos, arquitetou um plano. Rapidamente, pôs o tesouro de volta no lugar, cobriu-o com terra e foi para casa. Sabia que o atual proprietário do terreno não tinha enterrado o tesouro ali. Assim, se o dono vendesse o terreno, ele teria a posse do tesouro, que, então, seria seu de direito. Ele precisava de dinheiro e pôs a venda tudo o que tinha. Algumas pessoas talvez tenham meneado a cabeça, reprovando aquela atitude tão impetuosa. Mas o homem sabia o que estava fazendo. Com o dinheiro, poderia comprar o campo e teria para si o tesouro.

Método de interpretação: Descobrimos nesta parábola, duas figuras que já foram estudadas em parábolas anteriores, e que trazem significados idênticos. Não se extrai novos significados de uma mesma figura de linguagem já interpretadas. Conserva-se a interpretação da figura para outras citações.

II. SIGNIFICADO DA PARÁBOLA

1. O CAMPO - Jesus disse que “o reino dos céus assemelha-se a um tesouro escondido em um campo.

a) Em parábolas anteriores, Jesus declarou que o campo é o mundo –

exemplos:
• Parábola do Joio – (Mt.13:24;  e vs.38).
• Parábola do grão de mostarda – (Mt.13:31).
• O campo é a terra criada por Deus para o seu reino – (Gn.1:26-28)
• Pelo fato do homem ter sujeitado a vaidade, Deus teve que providenciar a compra do mundo – (Rm.8:20; 1Co.15:27-28;).

b) Por mundo, entendemos que é o globo terrestre no qual vivemos e habitamos, o tesouro, seja lá o que for, esta escondido neste campo –
• Se a ótica do observador esta para o mundo, se acha ali os tesouros desse mundo

• Se a ótica for em qualquer pessoa do mundo, pode ser que se descubra uma pessoa científica e cheia de sabedoria deste mundo – (1Co.2:6-9)

• Se a ótica for na pessoa regenerada, o tesouro de Deus está escondidos alí, como sendo Igreja militante e triunfante - (1Co.2:10-16)

2. O HOMEM –

a) Em parábolas anteriores o homem foi identificado pelo Senhor como sendo Ele mesmo –

• Parábola do semeador – (Mt.13:37)

b) O mundo, o campo foi comprado – Com o objetivo de tomar posse do tesouro, ele comprou o campo. O mundo foi comprado, não tanto por consideração a algum valor, mas por causa do tesouro que esse continha.

(Ler João.3:16-17)
(1Co.6: 20) - Porque fostes [comprados] por preço; glorificai pois a Deus no vosso corpo.

(1Co.7: 23) - Por preço fostes [comprados]; não vos façais escravos de homens.

(Ap.11: 15) - E tocou o sétimo anjo a sua trombeta, e houve no céu grandes vozes, que diziam: O [reino] do mundo passou a ser de nosso Senhor e do seu Cristo, e ele reinará pelos séculos dos séculos.

(Ap.14: 3) - E cantavam um cântico novo diante do trono, e diante dos quatro seres viventes e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil, aqueles que foram [comprados] da terra.
(Ap.14: 4) Estes são os que não se contaminaram com mulheres; porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vá. Estes foram [comprados] dentre os homens para serem as primícias para Deus e para o Cordeiro.

(At.20: 28) - Cuidai pois de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele adquiriu com seu próprio [sangue].

(1Pe.1:18) – sabendo que não foi mediante cousas corruptíveis , como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram,
(1Pe.1: 19) - mas com precioso [sangue], como de um cordeiro sem defeito e sem mancha, o [sangue] de Cristo,

c) O mundo clama pela sua redenção –

(Rm.8: 20) - Porquanto a criação ficou sujeita à vaidade, não por sua vontade, mas por causa daquele que a sujeitou,
21 na esperança de que também a própria criação há de ser liberta do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus.
22 Porque sabemos que toda a criação, conjuntamente, geme e está com dores de parto até agora;
23 e não só ela, mas até nós, que temos as primícias do Espírito, também gememos em nós mesmos, aguardando a nossa adoração, a saber, a redenção do nosso corpo.

3. O TESOURO - O tesouro é o reino de Deus escondido no mundo, e o governo de Deus, seus princípios, sua ordem e sua beleza que a tudo suplanta.

• O reino esta dentro de nós, escondido – (Lc.17:21)

• Deus fez sujeitar todas as coisas debaixo de seus pés – (Ef. 1:22; Hb.2:5-10)

• Tesouros em vasos de barro – (Rm.8:21; 2Co.4:7; 2Tm.2:20)

• O tesouro do conhecimento do Senhor – (Mt.6:19-21; Lc.12:21;Cl.2:1-3).

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES.


Esta parábola ilustra a descoberta acidental do reino de Deus. No oriente era comum a prática de esconder tesouros na terra e parece que os textos seguintes expressam esta verdade (Jeremias 41:8; Jó 3:21 e Provérbios 2:4). Na lei judaica quem comprasse uma terra tinha direito de apossar-se do tesouro ali escondido. Este costume foi originado pela dificuldade de ocultar  esses tesouros dos ladrões, da avareza dos vizinhos e de outros perigos que ameaçassem sua perda.
Esta parábola ilustra o valor da verdade que se acha em Cristo, e que inclui a própria pessoa de Cristo, a mensagem real do evangelho, o destino reservado aos homens, na vida eterna. O indivíduo aqui e ali a procura da verdade, finalmente é levado a descobrir, por acidente essa descoberta, e percebe que todos os outros tesouros da vida, sejam eles riquezas materiais, ou  intelectualidade, ou os prazeres e a fama, não podem se comparar com esse tesouro incalculável. Isto lembra a experiência dos apóstolos, que “deixaram tudo a fim de seguir a Cristo. Essa foi também a experiência dos antigos discípulos, muito dos quais morreram como mártires, considerando que a vida física nem se compara com os tesouros do reino dos céus.
(Mateus 11:12) ilustra o espírito desta parábola “desde os dias de João Batista até agora,o reino dos céus é tomado por esforços, e os que se esforçam se apoderam deles”.

Adam Clarke extraiu diversas lições espirituais através desta parábola:

1 –A salvação outorgada por Deus deve ser considerada nosso único tesouro, e devemos valorizá-lo acima de tudo.
2 – Nas escrituras devemos procurar toda informação possível acerca desse tesouro, para que compreendamos esse valor.
3 – Devemos ponderar as considerações dessa salvação no coração.
4 – Se preciso for, é necessário abandonar tudo o mais a fim  de reter esse tesouro.
5 – Nesse tesouro é que deve estar nossa alegria.
6 – Devemos compreender,sempre, que essa salvação foi comprada por Jesus, mediante o sangue do testamento, derramado quando de sua paixão e morte.


BIBLIOGRAFIA

1. Bíblia Vida Nova – Sociedade Religioa Edições Vida Nova
2. BíbliaW – Eletrônica
3. Os Evangelhos – Versão Restauração – Editora Árvore da Vida
4. Todas as Parábolas da Bíblia – Herbert Lockyer – Editora Vida
5. As parábolas de Jesus – Simon J. Kistemaker – Casa Editora Presbiteriana
6 - O Novo Testamento Interpretado versículo por versículo - R.N.Champlin, Ph,D. - Editora Hagos

PARÁBOLA DOS DOIS DEVEDORES


Por
Romildo Gurgel

LEITURA BÍBLICA: (Lc.7:36-50)

INTRODUÇÃO:
Cada evangelho relata o caso de uma mulher que ungiu os pés de Jesus, mas o caso que Lucas conta não é o mesmo que os outros. Mateus, Marcos e João contam o caso de Maria, e a localidade é Betânia. Já Lucas fala de uma mulher pecadora sem mencionar-lhe o nome, e a localidade é Naim (vd. Lc.7:11)

I – PANO DE FUNDO HISTÓRICO

Tudo indica que o cenário onde ocorreu a parábola foi em um dia de Sábado, quando Jesus pregara durante o culto da manhã, em uma sinagoga local. Era considerado um privilégio um pregador visitante para jantar na casa de Simão, o fariseu, onde convidou Jesus para ir à sua casa a fim de participar, com ele e com outros convidados, da refeição do meio-dia do Sabá.
O anfitrião, porém, foi negligente, esquecendo-se das regras comuns de cortesia, não beijando Jesus, nem lavando seus pés ou ungindo com óleo perfumado sua cabeça. Chegando-se Jesus à mesa e, com os outros convidados, tirou as sandálias. À maneira típica da época, os convidados se reclinavam em divãs (espécie de sofá sem encosto), ao redor da mesa, apoiando-se sobre o braço esquerdo e mantendo livre a mão direita para se servir da comida e da bebida, e seus pés ficavam estendidos, afastados da mesa. Se não fosse inverno a refeição acontecia no pátio, porque os judeus gostavam de comer ao ar livre. Durante a refeição chegou uma mulher, que morava naquela cidade e que era conhecida pela sua moral duvidosa. Ela caminhou rapidamente para perto de Jesus, pretendendo lhe oferecer um vaso de alabastro (vaso em forma de pêra com tampa), cheio de ungüento perfumado.
Porque conhecia Jesus, ela queria presenteá-lo com aquele perfume tão caro. Queria expressar-lhe sua gratidão por tê-la ajudado, provavelmente ensinando-lhe a mensagem de salvação, e quem sabe não fora a que houvera escutado pela manhã quando Jesus ensinava. Ela não conseguiu controlar a emoção, e, antes que percebesse, suas lágrimas corriam e caíam sobre os pés de Jesus. Ela não tinha uma toalha para enxugar seus pés. Então, soltou seus cabelos para com eles secá-los. Beijou seus pés, tomou o frasco de perfume e derramou-o sobre ele.
Do ponto de vista de Simão, aquele era um incidente muito embaraçoso. Se a mulher tivesse comprado o perfume tão caro com o dinheiro ganho na prostituição, o presente seria impuro. De acordo com (DT 23:18) - Não trarás o salário da prostituta nem preço de um sodomita à casa do SENHOR teu Deus por qualquer voto; porque ambos são igualmente abominação ao SENHOR teu Deus. Deus abominava tais ganhos, que, portanto, não podiam ser trazidos à sua casa. Presentes de pessoa sem moral eram considerados sujos e inaceitáveis por qualquer pessoa respeitável. Além disso a mulher desatara seu cabelo, estando na companhia de homens; agindo assim, mostrara que espécie de mulher era. Era contra os bons costumes que uma mulher soltasse seus cabelos em público.
O fariseu se admirava que Jesus permitisse que tudo isso acontecesse. Ele começou a olhar Jesus com olhos diferentes. Se Jesus fosse um profeta, ele refletia, saberia que esta mulher era uma pecadora, e que seu presente era maculado pelo pecado. Nenhuma mulher que se desse ao respeito permitiria que uma mulher de má reputação o tocasse, infamando-o. Após estes acontecimentos, Jesus tece a parábola.


II – A CHAVE DA PARÁBOLA
“muito amou. Mas aquele a quem pouco é perdoado, pouco ama” (Lc.7:47c)

III – O SIGNIFICADO DA PARÁBOLA

a) A parábola no sentido mais elevado, é uma narrativa sobre a graça –
 Graça – Favor dispensado recebido de uma maneira gratuita sem que haja merecimento pelo recebido.

b) Na parábola temos três personagens reais:
 Jesus (o salvador dos pecadores),
 Simão, o Fariseu
 e a mulher pecadora

c) Temos também na parábola três personagens fictícios:

 O credor que emprestou o dinheiro é Jesus, Ele usa esta figura de negócios para ilustrar uma lição.
 Os devedores, o homem que devia 500 denários aproximadamente equivalente a $ 50 dólares, - refere-se a mulher pecadora e o homem que devia 50 denários, aproximadamente 6 dólares) – refere-se ao fariseu
 O credor que emprestou o dinheiro sabedor que nenhum dos dois tinha com que pagar, perdoou a ambos
 Os dois são identificados como pecadores e são identicamente perdoados

d) Na parábola temos três perguntas: As duas primeiras foram feitas por Jesus e a ultima pelos convidados de Simão

1 - “Ora, qual deles o amarás mais ?” (vs. 42) –
Simão respondeu: “tenho para mim que é aquele a quem mais perdoou” – (vs.43)

(RM 5:20) - Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado ABUNDOU, superabundou a graça;

 Onde muitos pecados são perdoados, o amor é mais manifesto.
 O farizeu agia assim porque pouco amou. A mulher pecadora agia assim porque muito amou

2 - “vês tu esta mulher” (vs.44) – Jesus conhecia os pensamentos tanto do Farizeu como da mulher. Simão a via como uma alma depravada e abandonada.
3 - “Quem é este que até pecados perdoa” (vs.49) – Os convidados ficaram alarmados com a maneira de Jesus assumir as prerrogativas divina.

IV – ANALISANDO SIMÃO O FARISEU

a) Ele ficou bastante chocado com o que a mulher fez e com a atitude de Cristo para com ela –

b) Ele duvidou que Jesus soubesse que a mulher era uma pecadora
(LC 7:39) - Quando isto viu o fariseu que o tinha convidado, falava consigo, dizendo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, pois é uma pecadora.

c) Ele se achava uma pessoa muito boa e também se comportava com fina polidez e não se considerava um pecador

e) Ele havia convidado Jesus para comer em sua casa, mas não com qualquer desejo de ouvi-lo ensinar, pois já estava satisfeito com o seu conhecimento sobre a lei.

f) Ele não tinha a mínima intenção de honrá-lo como se estimasse profundamente –
 Era costume entre os judeus ao receber visita, saudar com ósculo (beijo de paz e amizade, como sinal de reverência e sujeição) providenciar água para lavarem os pés (como nos tempos de Abraão) e ungir a cabeça com óleo. Porém, nada disso ele fez.
(GN 18:4) - Que se traga já um pouco de água, e lavai os vossos pés, e recostai-vos debaixo desta árvore;

V – ANALISANDO A MULHER PECADORA

a) Ela procurou saber onde estava Jesus. Tudo indica que havia ouvido os seus ensinamentos, por isso estava a sua procura –
(LC 7:37) - E eis que uma mulher da cidade, uma pecadora, sabendo que ele estava à mesa em casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento;

b) Ela não havia sido convidado para o almoço, ela chegou por trás –
(LC 7:38) - E, estando por detrás, aos seus pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas, e enxugava-lhos com os cabelos da sua cabeça; e beijava-lhe os pés, e ungia-lhos com o ungüento.

c) Na época as pessoas tinham o costume de entrar nas casas sem ser convidado apenas para olhar, como acontece também aqui na nossa cultura nordestina –

d) Durante todo o incidente a mulher não falou uma única palavra. Os seus atos falaram mais alto do que a sua intenção de não falar.

e) Ela não veio para participar do banquete, ela tinha uma fome mais profunda pois era transgressora e sabia disso –

f) As suas lágrimas foram de arrependimento, alegria, amor e gratidão. Frutos de quem recebe a palavra de Deus no coração.

g) Lavou os pés de Jesus com as suas lágrimas quentes e abundantes. Ao chorar aos pés de Jesus observou que os pés tinham sujado mais do que lavado, apressou-se a enxugar com os seus cabelos.

h) Depois beijou aqueles pés limpos. (v.38)

i) Ela sentia no coração que fora grandemente perdoada

j) Ela ungiu os pés de Jesus com o ungüento mais caro e fino –
(LC 7:38) - E, estando por detrás, aos seus pés, chorando, começou a regar-lhe os pés com lágrimas, e enxugava-lhos com os cabelos da sua cabeça; e beijava-lhe os pés, e ungia-lhos com o ungüento.

h) O dr. Scroggie nota as seguintes características da mulher anônima:

• Seu conhecimento de culpa –
• Seu exercício de fé – Ela que necessitava de alívio de consciência, cria que podia alcançá-lo em Jesus.
• Sua certeza de Perdão – Não foram as lágrimas que lavaram os seus pecados, mas o amor de Cristo.
• Sua experiência de purificação – coisa essa que sempre acompanha o perdão
• Seu sentimento de amor que acompanha logo a experiência do arrependimento. O amor é a prova e não o motivo do perdão.
• Sua expressão de gratidão – Ela deu o seu precioso ungüento.
• Sua necessidade de serviço – Ela precisava fazer algo para alguém que lhe fizera tudo.
• Sua herança de paz – “Vai-te em paz” e foi nesta esfera que desde então viveu.

VI – ANALISANDO JESUS

a) A oniciência de Jesus podia ler o pensamento tanto de Simão como também ver os atos da mulher pecadora e discernir a atitude de arrependimento. Note que o Fariseu falava consigo mesmo -
(LC 7:39) - Quando isto viu o fariseu que o tinha convidado, falava consigo, dizendo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, pois é uma pecadora.

b) Jesus ao discernir o Fariseu observou que ele não se considerava pecador -

c) Jesus proferiu a parábola para corrigir o juízo equivocado do Fariseu -
(LC 7:40) - E respondendo, Jesus disse-lhe: Simão, uma coisa tenho a dizer-te. E ele disse: Dize-a, Mestre.
(LC 7:41) - Um certo credor tinha dois devedores: um devia-lhe quinhentos dinheiros, e outro cinqüenta.
(LC 7:42) - E, não tendo eles com que pagar, perdoou-lhes a ambos. Dize, pois, qual deles o amará mais?
(LC 7:43) - E Simão, respondendo, disse: Tenho para mim que é aquele a quem mais perdoou. E ele lhe disse: Julgaste bem.
(LC 7:44) - E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês tu esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; mas esta regou-me os pés com lágrimas, e mos enxugou com os seus cabelos.
(LC 7:45) - Não me deste ósculo, mas esta, desde que entrou, não tem cessado de me beijar os pés.
(LC 7:46) - Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta ungiu-me os pés com ungüento.
(LC 7:47) - Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama.

d) Jesus viu o que Simão não pôde enxergar –
 Aqui são revelados dois tipos de visão:

Jesus – Viu o desejo da mulher para ser liberta -
(LC 7:44) - E, voltando-se para a mulher, disse a Simão: Vês tu esta mulher? Entrei em tua casa, e não me deste água para os pés; mas esta regou-me os pés com lágrimas, e mos enxugou com os seus cabelos.
(LC 7:45) - Não me deste ósculo, mas esta, desde que entrou, não tem cessado de me beijar os pés.
(LC 7:46) - Não me ungiste a cabeça com óleo, mas esta ungiu-me os pés com ungüento.

Simão – Viu que a mulher era uma prostituta cheia de atitudes que feria a ética de uma mulher de reputação na sociedade
(LC 7:39) - Quando isto viu o fariseu que o tinha convidado, falava consigo, dizendo: Se este fora profeta, bem saberia quem e qual é a mulher que lhe tocou, pois é uma pecadora.

e) Quando Jesus proferiu a parábola ele fez o fariseu perceber:

 Que todo o moralismo legalista não poderia ser comparado com o arrependimento e devoção daquela mulher.


VII – AS LIÇÕES DA PARÁBOLA

a) Todos estão falidos e somos devedores aos olhos do nosso Credor celestial.
b) Nem o melhor de nós e nem o pior tem como pagar pelos seus débitos.
c) Cristo, porém, por sua vontade em tomar para si mesmo o nosso débito, pode agora perdoar a todos os que verdadeiramente se arrependem de seus pecados e volta-se para ele com fé.
d) Se formos perdoados, então sentiremos amor e devoção por aquele que nos perdoou.
e) Uma vez libertos do grande peso do débito de nossos pecados, a nossa gratidão deve se manifestar.

BIBLIOGRAFIA

1. Os Evangelhos, versão restauração. Comentários Witness Lee – Living Stream Ministry – Anaheim, California – EUA. Editora Arvore da Vida

2. KISTEMAKER, Simon J. As parabolas de Jesus. 1a Ed.1992, Sao Paulo: Casa Editora Presbiteriana.
3. Bíblia Vida Nova – Edição Revista e Atualizada – Sociedade Bíblica do Brasil, Editor responsável Russell P. Shedd

4. Todas as Parábolas da Bíblia – Herbert Lockyer – Editora Vida ; 3° impressão 2001 – São Paulo.

5. A Bíblia em Bytes Shammah – Bíblia computadorizada

6. A Bíblia Explicada – CPAD; S.E.Mcnair, 13ª Edição; 1994, Rio de Janeiro/RJ

Elaborado por
Romildo Gurgel

PARÁBOLA DOS PRIMEIROS LUGARES


Por
Romildo Gurgel

1 – LEITURA BÍBLICA: (Lc.14:7-14)

2 – PANO DE FUNDO HISTÓRICO:

Após o culto na sinagoga no sábado, os judeus costumavam ter uma abundante refeição, e muitas pessoas eram convidadas. Este banquete parece ter sido preparado bem antes, pois muitos eram os convidados. Um dos principais fariseus convidara Jesus para um desses almoços, com o propósito de lhe observar e armar uma cilada (vs.1). Lá bem na frente de Jesus estava um homem hidrópico (inchaço no corpo por acúmulo de líquido). Jesus curou o homem e mandou-o para casa, porque os fariseus se recusaram a responder à sua pergunta, se era ou não lícito curar no sábado? É possível que a presença do homem hidrópico fosse uma armadilha montada pelos inimigos, que esperassem que Jesus quebrasse a lei. Jesus em seguida propôs outra questão : “Qual de vós, se o filho ou o boi cair num poço, não o tirará logo, mesmo em dia de sábado? Também a essa pergunta, que se referia a coisas da casa, os fariseus não souberam o que responder.
Naquele ambiente de mentes contrárias, onde alguns hóspedes tinham egoisticamente tomado os melhores assentos junto à mesa, Jesus ensinou a parábola dos convidados orgulhosos – uma lição de humildade.

3 – QUE OBSERVAMOS NO TEXTO de (Lc.14:1-6).

DIFERENÇA ENTRE ANÁLISE E DISCERNIMENTO
a) Jesus é observado pelos principais fariseus e eles procuravam uma oportunidade para criticá-lo – (v.1)
b) Jesus repara também a maneira de como os doutores e fariseus faziam questão dos primeiros lugares – (v.7)
 Esses homens religiosos e da lei, gostavam de ser vistos pelo povo como pessoas importantes
 Veja como o Senhor discerne os homens;
(Mt.9: 4) - Mas Jesus, conhecendo-lhes os [pensamento]s, disse: Por que pensais o mal em vossos corações?

(Mt.12: 25) - Jesus, porém, conhecendo-lhes os [pensamento]s, disse-lhes: Todo reino dividido contra si mesmo é devastado; e toda cidade, ou casa, dividida contra si mesma não subsistirá.

(Mt.15: 19) - Porque do coração procedem os maus [pensamento]s, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias.

(Lc.2: 35) - sim, e uma espada traspassará a tua própria alma, para que se manifestem os [pensamento]s de muitos corações.

(Lc.5: 22) - Jesus, porém, percebendo os seus [pensamento]s, respondeu, e disse-lhes: Por que arrazoais em vossos corações?

(Hb.4:12 ) - Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os [pensamento]s e intenções do coração.

c) Jesus discerne toda esta mentalidade no meio dos fariseus. Podia ler os pensamentos deles. Compreendia também que no dia de sábado não se podia fazer quase que absolutamente nada. Uma pessoa só poderia ser curada somente se fosse caso de vida ou morte.

d) Duas perguntas foram feitas por Jesus: Uma antes da cura e outra depois da cura. Estas perguntas criaram o cenário para a aplicação da parábola. – (v.3 e 4)

e) Nas perguntas, Jesus expõe a visão de valores distorcida deles.

 Freqüentaram o culto judaico por toda uma manhã.
 Se confraternizaram após a reunião.
 Marcaram de uma maneira antecipada que após o culto iriam para casa de um amigo que estava oferecendo um almoço, onde passariam a tarde toda se alegrando e discutindo os textos estudados na culto. (isto parece com nossas agendas pós cultos).

Com isso Jesus queria denunciar a eles:
 Sobre o seu viver orgulhoso de distinguir de outros irmãos na reunião (classe social)
 Considerar importante a sua manutenção social que a prática aos menos favorecidos -
 A falta de humildade

VEJA O QUE JESUS ENSINOU NO SERMÃO DO MONTE
(MT 5:20) - Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no reino dos céus.

(MT 5:46) - Pois, se amardes os que vos amam, que galardão tereis? Não fazem os publicanos também o mesmo?
(MT 5:47) - E, se saudardes unicamente os vossos irmãos, que fazeis de mais? Não fazem os publicanos também assim?

f) O silêncio dos doutores da lei e os fariseus levam a conotar que eles estavam concluindo as suas análises a luz do planejado. E é um indicativo de seus propósitos terem sido descobertos por Jesus. (v.6)

A letra da lei nega o espírito da lei –
(RM 7:6) - Mas agora temos sido libertados da lei, tendo morrido para aquilo em que estávamos retidos; para que sirvamos em novidade de espírito, e não na velhice da letra.

g) Jesus cura no sábado e manda o curado ir para casa – (v.4)

4 – DUAS PARÁBOLAS FORAM TECIDAS POR JESUS ALÍ NA CASA DO FARISEU

a) Jesus fala aos convidados. (vs.7-11);
b) Jesus fala ao anfitrião (vs.12-14)

a) Aos convidados ele dá uma lição de humildade – Vejamos alguns textos sobre humildade

(MT 18:4) - Portanto, aquele que se tornar humilde como este menino, esse é o maior no reino dos céus.

(MT 23:12) - E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado.

(RM 12:16) - Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos;
(Fp.2: 3) - nada façais por contenda ou por vanglória, mas com [humildade] cada um considere os outros superiores a si mesmo;

(Cl.3: 12 ) - Revestí-vos, pois, como eleitos de Deus, santos e amados, de coração compassivo, de benignidade, [humildade], mansidão, longanimidade,

(1Pe.5: 5) - Semelhantemente vós, os mais moços, sede sujeitos aos mais velhos. E cingi-vos todos de [humildade] uns para com os outros, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes.

 Veja também a parábola das Bodas –( Mt.22:1-14)

 Nos banquetes que a sociedade atual faz costumam marcar o local.

 Os escribas e fariseus gostavam de escolher as melhores cadeiras para sentar-se –
(Mt.23:6) - gostam do primeiro lugar nos banquetes, das primeiras [cadeira]s nas sinagogas,

 Gostavam de serem vistos pelos homens e receber os louvores dos homens
(MT 23:1) - ENTÃO falou Jesus à multidão, e aos seus discípulos,
(MT 23:2) - Dizendo: Na cadeira de Moisés estão assentados os escribas e fariseus.
(MT 23:3) - Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem;
(MT 23:4) - Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los;
(MT 23:5) - E fazem todas as obras a fim de serem vistos pelos homens; pois trazem largos filactérios, e alargam as franjas das suas vestes,
(MT 23:6) - E amam os primeiros lugares nas ceias e as primeiras cadeiras nas sinagogas,
(MT 23:7) - E as saudações nas praças, e o serem chamados pelos homens; Rabi, Rabi.

b) Ao anfitrião ele ensina o princípio da generosidade e o benefício não do presente, mas a do futuro na ressurreição dos justos -

 A lista do Senhor é os mancos e os cegos. Mancos e cegos eram excluídos do templo – (vs.12-13) onde estiver o nosso coração estará a nossa lista.

 O investimento no presente será recompensado no futuro na ressurreição dos justos – (vs.14)

ALGUNS EXEMPLOS DA RECOMPENSA FUTURA
(Mt.6:20) - mas ajuntai para vós [tesouro]s no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam.
(Mt.6:21) - Porque onde estiver o teu [tesouro], aí estará também o teu coração.

(Mt.19:21) - Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um [tesouro] no céu; e vem, segue-me.

(Mc.10:21) - E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Uma coisa te falta; vai vende tudo quanto tens e dá-o aos pobres, e terás um [tesouro] no céu; e vem, segue-me.

(LC 12:20) - Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?
(LC 12:21) - Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.

(Lc.12:33) - Vendei o que possuís, e dai esmolas. Fazei para vós bolsas que não envelheçam; [tesouro] nos céus que jamais acabe, aonde não chega ladrão e a traça não rói.

(HB 11:24) - Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó,
(HB 11:25) - Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado;
(HB 11:26) - Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa.

c) Devemos ter o cuidado para não ter comportamento de fariseus.

 Convidar quem nos poderia convidar.
 Ter lugar de honra no convite.
 Ser reconhecido pelos homens.
 Ter sua posição social em destaque .
 Se auto-promover no lugar de ser promovido por outros.
 Ter em sua lista somente pessoas ilustres e de posição social elevada desconsiderando completamente os mais simples.
 Ter vista grossa pelos defeituosos fisicamente.
 Visar recompensar ao que lhe convidou.

Elaborado por
Romildo Gurgel

PARÁBOLA DO SERVO VIGILANTE


Por
Romildo Gurgel

LEITURA BÍBLICA: (Lc. 12:35-48)

1 - INTRODUÇÃO:
A idéia que se destaca nessa parábola, como em outras, é a de estar preparado para a vinda de Cristo. Todos os que são membros da casa da fé, servos uns com os outros do mestre, despenseiros dos mistérios da graça, deverão empenhar-se uns aos outros nas coisas do reino divino, e viver e trabalhar em conjunto para o Rei. (Herbert Lockyer)

2 – OBSERVANDO A PARÁBOLA

a) É UMA ALERTA - A parábola é apresentada como uma comparação. Jesus compara o estado de alerta a homens que esperam pelo seu Senhor, ao voltar ele das festas de casamento; para que, quando vier e bater à porta, logo lha abram – (v.36)

b) OS DISCÍPULOS DEVEM ESTAR PREPARADOS - Jesus diz para seus discípulos que estejam preparados para o serviço e que mantenham acesas as suas lâmpadas.

c) TODOS DEVEM ESPERAR DE IGUAL MODO SEM REVERSAMENTO NA ESPERA - Nesta parábola, todos os servos que estão esperando pelo Senhor, devem abrir a porta quando Ele bater. Não é uma única pessoa que esta esperando o Senhor, mas todos quando ouvir o bater da porta, devem abri-la – (V.36)

d) OS QUE ABREM A PORTA SÃO OS QUE ESTÃO ESPERANDO - (V.36)

e) OS SERVOS NÃO SABEM QUANDO OUVIRÃO A BATIDA – Por isso, esperam cingidos e com as lâmpadas acesas – (v.35)

3 – PORQUE DEVEM TODOS OS SERVOS SE MANTER ACORDADOS ? E PORQUE DEVEM TODOS ELES ATENDER À PORTA ?

 Porque Jesus queria retratar o relacionamento de confiança que existia entre o senhor e seus servos.
Nós observamos isso na palavra” Bem aventurado” que ocorre na parábola por três vezes-

(Lucas 12:37) - Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá.
(Lucas 12:38) - E, se vier na segunda vigília, e se vier na terceira vigília, e os achar assim, bem-aventurados são os tais servos.

(Lucas 12:43) - Bem-aventurado aquele servo a quem o seu senhor, quando vier, achar fazendo assim.

4 – O QUE O SENHOR DEIXOU CLARO PARA OS SEUS DISCIPULOS FAZEREM NA OCASIÃO DA SUA VOLTA ?
a) Eles teriam que estar cingidos – (v.35) A fim de ter liberdade de atividade, os homens prendiam as saias de suas túnicas em seus cintos. Cingido sig. Estar pronto para agir.
PAULO DIZ QUE SE DEVE SINGIR-SE NA VERDADE E NA PRÁTICA
(Efésios 6:14) - Estai, pois, firmes, tendo CINGIDOS os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;

JOÃO DIZ QUE OS ANJOS SÃO CINGIDOS COM CINTOS DE OURO, OU SEJA, TRABALHAM EM OBEDIÊNCIA AS ORDENS DE DEUS
(Apocalipse 15:6) - E os sete anjos que tinham as sete pragas saíram do templo, vestidos de linho puro e resplandecente, e CINGIDOS com cintos de ouro pelos peitos.

PEDRO DIZ QUE CINGIR-SE É NO ENTENDIMENTO
(1 Pedro 1:13) - Portanto, CINGINDO os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo;

 Na parábola das Bodas, o critério para participar dela era esta vestido com vestes nupciais. Já aqui nesta, Jesus exorta a estarmos cingidos.

b) Teriam que manter acesa a candeia –(v.35) Isto lembra a parábola das 10 virgens.

AS LOUCAS NÃO LEVARAM AZEITE PARA MANTER ACESA A CANDEIA
(Mateus 25:3) - As loucas, tomando as suas LÂMPADAS, não levaram azeite consigo.

AS PRUDENTES LEVARAM AZEITE SUFICIENTE
(Mateus 25:4) - Mas as prudentes levaram azeite em suas vasilhas, com as suas LÂMPADAS.

COM A AUSÊNCIA DO SENHOR, AS VIRGENS PREPARAM AS CANDEIAS
(Mateus 25:7) - Então todas aquelas virgens se levantaram, e prepararam as suas LÂMPADAS.

AS LOUCAS EMBORA ESTEJAM ACORDADAS, ESTÃO COM AS CANDEIAS APAGADAS
(Mateus 25:8) - E as loucas disseram às prudentes: Dai-nos do vosso azeite, porque as nossas LÂMPADAS se apagam.

c) Teriam que abrirem a porta quando ouvissem a batida – Isto lembra a Igreja de Laodicéia – (v.36)
(Apocalipse 3:20) - Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.

 A porta é a do coração
 O arrebatamento é universal; e a batida na porta é universal...

d) Teriam que servir ao Senhor, mas uma série inesperada de acontecimentos toma lugar: o senhor se torna servo. Ele se veste para o serviço, seus servos tomam lugar à mesa e ele os serve – (v.37)
(Lucas 12:37) - Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá.

O COMUM NA ATIVIDADE DE UM SERVO SERIA TRABALHAR SEM ESPERAR NADA EM TROCA PELO TRABALHO (parece até uma ironia para os nossos dias de tanta prosperidade)
(LC 17:7) - E qual de vós terá um servo a lavrar ou a apascentar gado, a quem, voltando ele do campo, diga: Chega-te, e assenta-te à mesa?
(LC 17:8) - E não lhe diga antes: Prepara-me a ceia, e cinge-te, e serve-me até que tenha comido e bebido, e depois comerás e beberás tu?
(LC 17:9) - Porventura dá graças ao tal servo, porque fez o que lhe foi mandado?
(LC 17:10) - Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer.

O SENHOR ENSINA AOS SEUS DISCIPULOS O EXEMPLO DE SERVIÇO
(JO 13:2) - E, acabada a ceia, tendo o diabo posto no coração de Judas Iscariotes, filho de Simão, que o traísse,
(JO 13:3) - Jesus, sabendo que o Pai tinha depositado nas suas mãos todas as coisas, e que havia saído de Deus e ia para Deus,
(JO 13:4) - Levantou-se da ceia, tirou as vestes, e, tomando uma toalha, cingiu-se.
(JO 13:5) - Depois deitou água numa bacia, e começou a lavar os pés aos discípulos, e a enxugar-lhos com a toalha com que estava cingido.
(JO 13:6) - Aproximou-se, pois, de Simão Pedro, que lhe disse: Senhor, tu lavas-me os pés a mim?
(JO 13:7) - Respondeu Jesus, e disse-lhe: O que eu faço não o sabes tu agora, mas tu o saberás depois.
(JO 13:8) - Disse-lhe Pedro: Nunca me lavarás os pés. Respondeu-lhe Jesus: Se eu te não lavar, não tens parte comigo.
(JO 13:9) - Disse-lhe Simão Pedro: Senhor, não só os meus pés, mas também as mãos e a cabeça.
(JO 13:10) - Disse-lhe Jesus: Aquele que está lavado não necessita de lavar senão os pés, pois no mais todo está limpo. Ora vós estais limpos, mas não todos.
(JO 13:11) - Porque bem sabia ele quem o havia de trair; por isso disse: Nem todos estais limpos.
(JO 13:12) - Depois que lhes lavou os pés, e tomou as suas vestes, e se assentou outra vez à mesa, disse-lhes: Entendeis o que vos tenho feito?
(JO 13:13) - Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou.
(JO 13:14) - Ora, se eu, Senhor e Mestre, vos lavei os pés, vós deveis também lavar os pés uns aos outros.
(JO 13:15) - Porque eu vos dei o exemplo, para que, como eu vos fiz, façais vós também.

e) Teriam que dá sustento aos seus conservos ao seu tempo – (v.43)

(Mateus 24:45) - Quem é, pois, o servo fiel e prudente, que o seu senhor constituiu sobre a sua casa, para dar o SUSTENTO a seu tempo?

(1 Coríntios 13:3) - E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para SUSTENTO dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.

f) Teriam que exercer a mordomia – (V.42) E ISTO É PARA TODOS – (V.41) –

(LC 16:1) - E DIZIA também aos seus discípulos: Havia um certo homem rico, o qual tinha um mordomo; e este foi acusado perante ele de dissipar os seus bens.
(LC 16:2) - E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isto que ouço de ti? Dá contas da tua mordomia, porque já não poderás ser mais meu mordomo.
(LC 16:3) - E o mordomo disse consigo: Que farei, pois que o meu senhor me tira a mordomia? Cavar, não posso; de mendigar, tenho vergonha.
(LC 16:4) - Eu sei o que hei de fazer, para que, quando for desapossado da mordomia, me recebam em suas casas.
(LC 16:5) - E, chamando a si cada um dos devedores do seu SENHOR, disse ao primeiro: Quanto deves ao meu senhor?
(LC 16:6) - E ele respondeu: Cem medidas de azeite. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e assentando-te já, escreve cinqüenta.
(LC 16:7) - Disse depois a outro: E tu, quanto deves? E ele respondeu: Cem alqueires de trigo. E disse-lhe: Toma a tua obrigação, e escreve oitenta.
(LC 16:8) - E louvou aquele senhor o injusto mordomo por haver procedido prudentemente, porque os filhos deste mundo são mais prudentes na sua geração do que os filhos da luz.
(LC 16:9) - E eu vos digo: Granjeai amigos com as riquezas da injustiça; para que, quando estas vos faltarem, vos recebam eles nos tabernáculos eternos.
(LC 16:10) - Quem é fiel no mínimo, também é fiel no muito; quem é injusto no mínimo, também é injusto no muito.
(LC 16:11) - Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis, quem vos confiará as verdadeiras?
(LC 16:12) - E, se no alheio não fostes fiéis, quem vos dará o que é vosso?
(LC 16:13) - Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom.
(LC 16:14) - E os fariseus, que eram avarentos, ouviam todas estas coisas, e zombavam dele.

g) Teriam que conhecer a vontade do senhor e se aprontar – (v.47)

(Mateus 6:10) - Venha o teu reino, seja feita a tua VONTADE, assim na terra como no céu;

(Mateus 7:21) - Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a VONTADE de meu Pai, que está nos céus.

(Mateus 12:50) - Porque, qualquer que fizer a VONTADE de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, e irmã e mãe.

(Mateus 5:19) - Qualquer, pois, que violar um destes mandamentos, por menor que seja, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no reino dos céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no reino dos céus.

5 – O QUE ACONTECERÁ COM OS DISCIPULOS QUE NÃO VIGIARAM NA VOLTA DO SENHOR ?

a) Não terão lugar a mesa e não serão servidos pelo Senhor – (v.37)

b) Serão castigados e a sua sorte será com os infiéis – (v.46)

c) Serão punidos com muitos açoites – (v.47)

BIBLIOGRAFIA

KISTEMAKER, Simon J. As Parábolas de Jesus. Casa Editora Presbiteriana. 1a Edição – 1992. São Paulo – SP

LOCKYER, Herbert. Todas as Parábolas da Bíblia. Editora Vida. 3a Edição 2001. São Paulo – SP.

A Bíblia Explicada – CPAD

Bíblia em Bytes – Bertolini Informática

MORRIS, Leon L. Lucas, introdução e comentário. Editora Mundo Cristão. 1ª Edição. 1994; São Paulo/SP.

Elaboração
Romildo Gurgel

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

PARÁBOLA DO RICO INSENSATO


Por
Romildo Gurgel

LEITURA BÍBLICA: (Lc.12:12-21)

I – PANO DE FUNDO HISTÓRICO
Dois irmãos vinham discutindo a respeito de uma herança. O pai tinha morrido, e o irmão mais velho, na opinião do mais novo, não tinha cumprido o que estava especificado no testamento. O irmão mais novo ao curso da ação, fez um apelo a Jesus, visto que era costume da época os rabinos resolverem questões como esta. Os rabinos conheciam a lei, e serviam duplamente como mestre e advogado. Jesus no entanto negou-se a se envolver na disputa e a servir de juiz e árbitro. O irmão que pediu a Jesus para intervir parece ter ido, sozinho, até Jesus. O texto não fala que o irmão mais velho tenha concordado em ter uma terceira pessoa avaliando a situação. O que fica evidente é que a pessoa que se dirigiu a Jesus queria usá-lo como advogado, juiz e árbitro.
Por isso, depois de ter-se dirigido diretamente ao homem, Jesus passou a ensinar à multidão uma lição espiritual, fazendo-lhes uma recomendação geral, e contando-lhe uma parábola.:
Recomendou: “Tende cuidado e guardai-vos de toda e qualquer avareza; porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui”.

Como mestre, Jesus ensinou aos seus discipulos:
a) Contra o perigo espiritual da avareza – (Ef.5:3)
b) A avareza é idolatria – (Cl.3:5)
c) É o culto a criatura ao invés do criador –
d) Pessoas avarentas não herdam o reino de Deus – (1Co.6:9-10;
e) O apóstolo Paulo ensina a ter cuidado com a avareza - (1Tm.6:7-8)

Na parábola de Jesus, um fazendeiro muito rico teve um verão excepcional, porque na ocasião da ceifa tivera uma colheita abundante. O fazendeiro arrazoava consigo mesmo o que fazer com a colheita e onde guardá-la. Ele resolveu: “Farei isto: Destruirei os meus celeiros, reconstruí-los-ei maiores e aí recolherei todo o meu produto e todos os meus bens”. Falando consigo mesmo e usando os pronomes eu e meu repetidamente, ele revela seu extremo egoísmo. Este homem não se sentia seguro dependendo de Deus, não considerava a promessa de Deus e jamais passou pela cabeça a idéia de ajudar os pobres. Ao contrário, pensou em si mesmo, em seu próprio prazer e segurança. O enriquecimento de sua própria vida não era ao menos considerado. Depois de construir maiores celeiros continuou a revelar o seu propósito: “Então direi a minha alma: Tens em depósito muitos bens para muitos anos: descansa, come e bebe, e regala-te”. O circulo de sua vida resumia a um ponto. Ela não se caracterizava pelos pecados de comissão (praticados), mas, sim, pelos pecados de omissão. Deixou de agradecer a Deus as riquezas recebidas e foi negligente o cuidado ao próximo necessitado. Sem Deus e sem o próximo, sua vida estava centrada nele mesmo. Deus interveio chamando-o de louco, e dizendo-lhe que morreria naquela noite. Perderia a vida e todas as suas riquezas. Deus o chamou para prestar contas de seus bens. Queria fazer um balanço de suas posses terrenas e espirituais.

II – ENSINOS FUNDAMENTAIS DA PARÁBOLA

a) “O campo de um homem rico produziu com abundância” – (v.16)
O homem deve reconhecer por mais que se esforce para conseguir, que tudo que lhes vem a mãos, constitui-se uma dádiva de Deus –

 Dinheiro, ouro, riquezas - (1Cr.29:1-14)
 O Senhor é o que enriquece e empobrece – ( Sl.65:8-13; 1Sm.2:7)
 Posição – (Jo.19:10-11)

b) Uma lição espiritual, guardai-vos de toda e qualquer avareza porque a vida de um homem não consiste na abundância dos bens que ele possui –
 Servos tem que ser sem avareza – (Êx.18:21)
 Do coração é que sai a avareza – (Mc.7:21-22)
 Não podemos amar a Deus e as riquezas, mas poderemos ter bens sem ser avarento – (Mt.6:24)
 Devemos se resguardar de toda e qualquer avareza – (Lc.12:15)
 Devemos nos contentar com o que temos – (Hb.13:5)

c) O homem arrazoava consigo mesmo – (v.17 e 18)
 Ele não conseguiu ver a si mesmo como administrador de tudo aquilo com que Deus o enriquecera – (Lc.16:1-8)

(Lc.12: 42) - Respondeu o Senhor: Qual é, pois, o [mordomo] fiel e prudente, que o Senhor porá sobre os seus servos, para lhes dar a tempo a ração?

d) A semelhança do rico insensato vejamos alguns textos das escrituras –
(SL 49:6) - Aqueles que confiam na sua fazenda, e se gloriam na multidão das suas riquezas,
(SL 49:7) - Nenhum deles de modo algum pode remir a seu irmão, ou dar a Deus o resgate dele
(SL 49:8) - (Pois a redenção da sua alma é caríssima, e cessará para sempre),
(SL 49:9) - Para que viva para sempre, e não veja corrupção.
(SL 49:10) - Porque ele vê que os sábios morrem; perecem igualmente tanto o louco como o brutal, e deixam a outros os seus bens.
(SL 49:11) - O seu pensamento interior é que as suas casas serão perpétuas e as suas habitações de geração em geração; dão às suas terras os seus próprios nomes.
(SL 49:12) - Todavia o homem que está em honra não permanece; antes é como os animais, que perecem.

(SL 49:16) - Não temas, quando alguém se enriquece, quando a glória da sua casa se engrandece.
(SL 49:17) - Porque, quando morrer, nada levará consigo, nem a sua glória o acompanhará.
(SL 49:18) - Ainda que na sua vida ele bendisse a sua alma; e os homens te louvarão, quando fizeres bem a ti mesmo,
(SL 49:19) - Irá para a geração de seus pais; eles nunca verão a luz.
(SL 49:20) - O homem que está em honra, e não tem entendimento, é semelhante aos animais, que perecem.

(2PE 2:12) - Mas estes, como animais irracionais, que seguem a natureza, feitos para serem presos e mortos, blasfemando do que não entendem, perecerão na sua corrupção,
(2PE 2:13) - Recebendo o galardão da injustiça; pois que tais homens têm prazer nos deleites quotidianos; nódoas são eles e máculas, deleitando-se em seus enganos, quando se banqueteiam convosco;
(2PE 2:14) - Tendo os olhos cheios de adultério, e não cessando de pecar, engodando as almas inconstantes, tendo o coração exercitado na avareza, filhos de maldição;
(2PE 2:15) - Os quais, deixando o caminho direito, erraram seguindo o caminho de Balaão, filho de Beor, que amou o prêmio da injustiça;
(2PE 2:16) - Mas teve a repreensão da sua transgressão; o mudo jumento, falando com voz humana, impediu a loucura do profeta.
(2PE 2:17) - Estes são fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva.

(TG 4:13) - Eia agora vós, que dizeis: Hoje, ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos;
(TG 4:14) - Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.
(TG 4:15) - Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo.
(TG 4:16) - Mas agora vos gloriais em vossas presunções; toda a glória tal como esta é maligna.

e) O acumulo de riquezas terrenas não quer dizer que somos ricos espiritualmente -

 Muitos pensam que são ricos, mas são pobres, sego e nu, como na igreja de Laodicéia –

(AP 3:17) - Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;
(AP 3:18) - Aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças; e roupas brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas.
(AP 3:19) - Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê pois zeloso, e arrepende-te.
(AP 3:20) - Eis que estou à porta, e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.

TUDO VEM DO SENHOR E A ELE DEVOLVEMOS
(1CR 29:14) - Porque quem sou eu, e quem é o meu povo, para que pudéssemos oferecer voluntariamente coisas semelhantes? Porque tudo vem de ti, e do que é teu to damos.

O AMOR AO DINHEIRO É A RAIZ DE TODOS OS MALES
(1TM 6:10) - Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

f) Em outras parábolas, Jesus fala sobre o uso do dinheiro tanto no campo espiritual como no material -

 O rico insensato e o outro rico que é contrastado com Lázaro não usaram a sua riqueza a favor dos outros – (Lc.16:19-31)

 O alimento espiritual e as dádivas do reino, Jesus não pode omitir quem as deseja –
(MT 15:22) - E eis que uma mulher cananéia, que saíra daquelas cercanias, clamou, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim, que minha filha está miseravelmente endemoninhada.
(MT 15:23) - Mas ele não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, chegando ao pé dele, rogaram-lhe, dizendo: Despede-a, que vem gritando atrás de nós.
(MT 15:24) - E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.
(MT 15:25) - Então chegou ela, e adorou-o, dizendo: Senhor, socorre-me!
(MT 15:26) - Ele, porém, respondendo, disse: Não é bom pegar no pão dos filhos e deitá-lo aos cachorrinhos.
(MT 15:27) - E ela disse: Sim, SENHOR, mas também os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus senhores.
(MT 15:28) - Então respondeu Jesus, e disse-lhe: Ó mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã.

 A ilusão das riquezas bloqueiam qualquer anseio por Deus e pela sua Palavra -
(Mt.6: 24) - Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar a um e amar o outro, ou há de dedicar-se a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e às r[iquezas].

g) Como Deus deseja que usemos o dinheiro?

 Como um bom homem com o seu tesouro –
(LC 6:45) - O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca.

 A parábola das Minas e dos talentos revela como Deus espera que os seus servos usem o que tem recebido - Talentos (Mt.25:14-30) e 10 minas (Lc.19:11-27)

h) Como se preparar para se encontrar com o Senhor?

 Buscando as coisas que são de cima e não as que são da terra –( Cl.3)

 As coisas da terra vêm por acréscimo – (Mt.6:25-34)

 Acumulando tesouros que nos sirvam para a eternidade –

(MT 19:21) - Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um TESOURO no céu; e vem, e segue-me.

(MT 13:44) - Também o reino dos céus é semelhante a um TESOURO escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo.

(MT:6:19) - Não ajunteis para vós [tesouros] na terra; onde a traça e a ferrugem os consomem, e onde os ladrões minam e roubam;
(Mt.6:20) -

(LC 12:20) - Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?
(LC 12:21) - Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.
mas ajuntai para vós [tesouros] no céu, onde nem a traça nem a ferrugem os consumem, e onde os ladrões não minam nem roubam.

(HB 11:24) - Pela fé Moisés, sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó,
(HB 11:25) - Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado;
(HB 11:26) - Tendo por maiores riquezas o vitupério de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa.

 Negando a vida da alma para ganhá-la no futuro – (Mt.16:24-28), isto implica que o futuro dependerá de como estamos tratando com a nossa alma no presente. Perderemos a alma, quando ganhamos no presente. Então se conclui que o perigo de dar privilégios a nossa vontade e emoções, fará com que no futuro venhamos sofrer alguma perda.

 Esmurrando o corpo e reduzindo a servidão –
(1CO 9:27) - Antes esmurro o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.

Elaborado por
Romildo Gurgel

domingo, 20 de fevereiro de 2011

PARÁBOLA DO FAZENDEIRO E DO SERVO


Por
Romildo Gurgel

1 – Leitura Bíblica – (Lc.17:7-10)

2 – Introdução.
Esta parábola apresenta Jesus como servo e como exemplo. As palavras de Jesus são espírito e vida. Se ouvirmos a mensagem e não praticarmos é o mesmo que edificarmos uma casa sobre a areia.

3 – O que é um servo ?

a) Para sabermos sobre isso e o que Jesus esta falando no texto temos que voltar ao passado.
b) Servo é um escravo. Quando um rei fazia guerra com outro rei, levava como despojos escravos.
c) Escravos eram vendidos como animais em feiras livres.
d) Eram exposto em vitrines em mercado com um preço, valor.
e) Um buraco era perfurado em sua orelha e ali era colocada uma tarjeta com o nome do seu futuro patrão.
f) O escravo era propriedade de quem os comprava.
g) O escravo teria que fazer o que o seu dono desejasse sem exigir paga pelo serviço.
h) Teriam que trabalhar o dia todo sem ter o direito de reclamar absolutamente nada pela jornada.
i) O escravo quando não queria obedecer era castigado como muitos açoites.
j) Se o patrão quisesse que o servo trabalhasse de 2 ou 3 horas da manhã, ele teria que trabalhar sem nenhuma reclamação.
k) O escravo não era dono se si mesmo, o escravo vivia só para o seu patrão. Manifestar vontade própria era motivo de colocá-lo no tronco e ser açoitado.

4 – Então Jesus disse aos seus discípulos:

E qual de vós terá um servo a lavrar ou a apascentar gado, a quem, voltando ele do campo, diga: Chega-te, e assenta-te à mesa? - (LC 17:7)

A resposta é ninguém.

E não lhe diga antes: Prepara-me a ceia, e cinge-te, e serve-me até que tenha comido e bebido, e depois comerás e beberás tu? - (LC 17:8)

5 – Que tem esta parábola conosco?

a) Jesus associou a parábola com os seus discípulos.
“assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer”. - (LC 17:10)

6 – Todos nós sabemos que teoricamente e teologicamente fomos comprados pelo sangue de Jesus.

a) Ele nos comprou –

(RM 14:7) - Porque nenhum de nós vive para si, e nenhum morre para si.
(RM 14:8) - Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. De sorte que, ou vivamos ou morramos, somos do Senhor.
(RM 14:9) - Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor, tanto dos mortos, como dos vivos.
Se você perguntar a um irmão: Porque morreu o Senhor Jesus? Eles poderão lhe responder que Jesus morreu pelos nossos pecados.
 Esta resposta não é toda a verdade.
 Em (RM 14:9) diz: - Porque foi para isto que morreu Cristo, e ressurgiu, e tornou a viver, para ser Senhor, tanto dos mortos, como dos vivos.

 Deveríamos viver para o Senhor
 Morremos não para ir para o Céu, mas para Ele. Ele é Senhor tanto de mortos como de vivos.
 Por isso que Ele disse em
(LC 17:10) - Assim também vós, quando fizerdes tudo o que vos for mandado, dizei: Somos servos inúteis, porque fizemos somente o que devíamos fazer.
 Paulo se deleitava em dizer servo de Jesus Cristo. –
(Rm.1: 1) - Paulo, [servo] de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus,

b) A Bíblia nos ensina que o servo:

NÀO É MAIS DO QUE O MESTRE E O SEU SENHOR
(Mt.10:24) - Não é o discípulo mais do que o seu mestre, nem o [servo] mais do que o seu senhor.
(Mt.10: 25) - Basta ao discípulo ser como seu mestre, e ao [servo] como seu senhor. Se chamaram Belzebu ao dono da casa, quanto mais aos seus domésticos?

O PRIMEIRO E O MAIOR SERVIRÁ MAIS SEM EXIGIR NADA
(Mt.20: 27) - e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, será vosso [servo];

(Mt.23: 11) - Mas o maior dentre vós há de ser vosso [servo].

(Mc.9: 35) - E ele, sentando-se, chamou os doze e lhes disse: se alguém quiser ser o primeiro, será o derradeiro de todos e o [servo] de todos.

TEM QUE SER PRUDENTE
(Mt.24: 45) - Quem é, pois, o [servo] fiel e prudente, que o senhor pôs sobre os seus serviçais, para a tempo dar-lhes o sustento?
(Mt.24: 46) - Bem-aventurado aquele [servo] a quem o seu senhor, quando vier, achar assim fazendo.

(Mt.24: 48) - Mas se aquele outro, o mau [servo], disser no seu coração: Meu senhor tarda em vir,
(Mt.24: 49) - e começar a espancar os seus conservos, e a comer e beber com os ébrios,
(Mt.24: 5) -0 virá o senhor daquele [servo], num dia em que não o espera, e numa hora de que não sabe,

7 – A palavra salvação tem que ser bem interpretada

a) Nós cremos que Jesus nos salvou do inferno. Mas Ele não nos deixou sozinho para que a nossa vontade prevaleça acima da d’Ele.

b) Antes de crermos no Senhor távamos perdidos.

Perdido – Dic. Aurélio – Significa
1 . Sumido, desaparecido:
2. Extraviado, desencaminhado:
3. Disperso, difuso:
4. Seduzido, pervertido:
5. Imoral, devasso, libertino:
6. Destruído, irrecuperável:
7. Sem esperança ou salvação:
8. Cuja morte é inevitável:
9. Extremamente apaixonado:
10. Aflito, ansioso:
11. Distante, longínquo:

c) Continuamos perdidos. Antes éramos perdidos nas mãos do diabo, agora somos perdidos nos braços do Senhor Jesus.
Paulo diz:
(Rm.6:18) - e libertos do pecado, fostes feitos [servos da justiça].
(Rm.6: 19) - Falo como homem, por causa da fraqueza da vossa carne. Pois assim como apresentastes os vossos membros como servos da impureza e da iniqüidade para iniqüidade, assim apresentai agora os vossos membros como [servos da justiça] para santificação.

 Isto significa que fomos libertos de um servidor para outro servidor

d) O Senhor tira um jugo e coloca um outro -

jugo – Dic. Aurélio
1. Canga1 (1). - Peça de madeira que prende os bois pelo pescoço e os liga ao carro, ou ao arado; jugo
2. P. ext. A junta de bois.
3. Fig. Opressão, sujeição.
4. Fig. Submissão, obediência.
5. Fig. Autoridade, domínio.

(MT 11:29) - Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas.


8 – Na maioria das vezes pregamos sobre a cruz e o sangue mas não pregamos a ressurreição.

a) A Bíblia diz que Jesus morreu para se tornar o nosso dono e nos livrar do antigo o (diabo)..

b) E ele ressuscitou para se tornar o seu Senhor.

c) A ressurreição de Jesus foi para tomar autoridade sobre todos aqueles que Ele morreu e ressuscitou.

d) Se eu estou no meio das trevas e quero salvar a minha vida tenho que olhar para Jesus, mas se eu estou nos braços de Jesus e quero salvar a minha vida, estou perdido. Pois quem achar a sua vida perdê-la-á...
 EXISTE DOIS ASPECTO DE ESTAR PERDIDOS:
1 – Antes perdido nas mãos do diabo
2 – Perdidos nos braços do Senhor Jesus.

e) Alguns crêem que existem três caminhos:
 O largo para os pecadores
 O estreito para os pastores e missionários
 O caminho do meio que não é largo e nem estreito para os crentes.

 Não é assim, só tem dois: ou se esta em um ou em outro. Você não pode servir a dois Senhores, ou há de aborrecer a um e amar o outro.

9 – A Bíblia apresenta dois reino

a) Reino das trevas
b) Reino de Deus

(CL 1:13) - O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor;
10 – É muito fácil saber de que reino você se encontra

a) No reino das trevas – Você esta livre para fazer a sua própria vontade – (Ef.2)
b) No reino de Deus – Se faz a vontade de Deus

 O problema de muitos crentes é que não santificam a Cristo como SENHOR em suas vidas -
(1Pe.3: 15 ) - antes [santificai] em vossos corações a Cristo como Senhor; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a todo aquele que vos pedir a razão da esperança que há em vós;

c) O que muitos faltam praticar é o que esta escrito em Mt.16
(MT 16:24) - Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;
(MT 16:25) - Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á.

11 – Sempre ouvimos alguém dizer: Vocês tem sua religião eu tenho a minha. Ai você pergunta: Você freqüenta a sua Igreja? – Ele responde não. Você paga o dízimo? Ele responde não. Você pratica os preceitos da Bíblia, Ele não sabe nem o que significa preceitos. Isto é o que eu chamo de religião. Como tem evangélicos religiosos; fazem o que querem, vão a Igreja e lêem as escrituras quando querem. Eles não querem o Senhorio de Jesus, querem ser servidos pelo Senhor. Estão dizendo bem alto que nem servo inútil é.

12 – O que esta faltando no povo? A cruz (morte) e a ressurreição. Viver pelo seu novo amo. O batismo é o símbolo da morte e da ressurreição –
a) A água não tem ação purificadora
b) A mensagem do batismo é de sepultamento da velha criatura, e o nascimento para o reino de Deus. (Leia Rm 6). PENSE NISSO....EM ORAÇÃO AVALIE SUA VIDA.

Elaborado por
Romildo Gurgel

sábado, 19 de fevereiro de 2011

PARÁBOLA DO CONSTRUTOR DA TORRE E O REI GUERREIRO


Por
Romildo Gurgel

1 – LEITURA BÍBLICA: (Lc.14:28-33)

2 – INTRODUÇÃO:
Estas parábolas são consideradas por alguns comentaristas como parábolas gêmeas, ela é encontrada apenas no Evangelho de Lucas. Ela foi contada quando Jesus seguia da Galiléia para Jerusalém, acompanhado por grandes multidões.

3 – PANO DE FUNDO HISTÓRICO
Em virtude do seu conhecimento dos assuntos locais, é bem possível que Cristo tenha transmitido a Parábola da Torre, a partir de um fato recente. Provavelmente Pilatos tinha começado a construir um aqueduto, ou algum tipo de torre, mas não teve condições de terminar. Esse governante talvez não tenha avaliado o custo e também não pôde usar o dinheiro do tesouro do templo, e assim contemplou a diluição de seus recursos, e o projeto de construção foi abandonado. Com tal conhecimento Jesus teceu as parábolas gêmeas.

4 – O QUE JESUS ENSINA NESTAS PARÁBOLAS.

a) Ensina que o verdadeiro discipulado custa caro, tem um preço a ser pago –

O PREÇO DE ABORRECER PAI, MÃE, MULHER , FILHOS, IRMÃOS E SUA PRÓPRIA VIDA
(LC 14:26) - Se alguém vier a mim, e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo.

 Paulo não tinha a sua vida por preciosa
(At.20:24) - mas em nada tenho a minha vida como [preciosa] para mim, contando que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus.

(Fp.3:7) - Mas o que para mim era lucro passei a considerá-lo como [perda] por amor de Cristo;
(Fp.3:8) - sim, na verdade, tenho também como [perda] todas as coisas pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a [perda] de todas estas coisas, e as considero como refugo, para que possa ganhar a Cristo,

(TT 2:11) - Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens,
(TT 2:12) - Ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente,

O PREÇO DE LEVAR A CRUZ
(LC 14:27) - E qualquer que não levar a sua cruz, e não vier após mim, não pode ser meu discípulo.

(LC 9:23) - E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.
(LC 9:24) - Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará.
(LC 9:25) - Porque, que aproveita ao homem granjear o mundo todo, perdendo-se ou prejudicando-se a si mesmo?
(LC 9:26) - Porque, qualquer que de mim e das minhas palavras se envergonhar, dele se envergonhará o Filho do homem, quando vier na sua glória, e na do Pai e dos santos anjos.

O PREÇO DE RENUNCIAR TUDO QUANTO POSSUI
(LC 14:33) - Assim, pois, qualquer de vós, que não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo.

 Uma pessoa para se casar renuncia a casa dos pais –
(Mt.19:5) - 5 e que ordenou: Por isso [deixar]á o homem pai e mãe, e unir-se-á a sua mulher; e serão os dois uma só carne?

 O preço para se unir a Cristo é tudo o que se possui –
(MT 19:17) - E ele disse-lhe: Por que me chamas bom? Não há bom senão um só, que é Deus. Se queres, porém, entrar na vida, guarda os mandamentos.
(MT 19:18) - Disse-lhe ele: Quais? E Jesus disse: Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho;
(MT 19:19) - Honra teu pai e tua mãe, e amarás o teu próximo como a ti mesmo.
(MT 19:20) - Disse-lhe o jovem: Tudo isso tenho guardado desde a minha mocidade; que me falta ainda?
(MT 19:21) - Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me.
(MT 19:22) - E o jovem, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades.
(MT 19:23) - Disse então Jesus aos seus discípulos: Em verdade vos digo que é difícil entrar um rico no reino dos céus.
(MT 19:24) - E, outra vez vos digo que é mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus.
(MT 19:25) - Os seus discípulos, ouvindo isto, admiraram-se muito, dizendo: Quem poderá pois salvar-se?
(MT 19:26) - E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível.
(MT 19:27) - Então Pedro, tomando a palavra, disse-lhe: Eis que nós deixamos tudo, e te seguimos; que receberemos?
(MT 19:28) - E Jesus disse-lhes: Em verdade vos digo que vós, que me seguistes, quando, na regeneração, o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, também vos assentareis sobre doze tronos, para julgar as doze tribos de Israel.
(MT 19:29) - E todo aquele que tiver deixado casas, ou irmãos, ou irmãs, ou pai, ou mãe, ou mulher, ou filhos, ou terras, por amor de meu nome, receberá cem vezes tanto, e herdará a vida eterna.

O PREÇO DE ENTRAR PELA PORTA ESTREITA
(Mt.7:13) - Entrai pela porta estreita; porque [larga] é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela;

b) A parábola ensina sobre o perigo de começar e não terminar -

O EXEMPLO DA CONSTRUÇÃO DE UMA TORRE
(LC 14:28) - Pois qual de vós, querendo edificar uma torre, não se assenta primeiro a fazer as contas dos gastos, para ver se tem com que a acabar?
(LC 14:29) - Para que não aconteça que, depois de haver posto os alicerces, e não a podendo acabar, todos os que a virem comecem a escarnecer dele,

O EXEMPLO DE UM REI QUE VAI A GUERRA COM OUTRO REI
(LC 14:31) - Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil?
(LC 14:32) - De outra maneira, estando o outro ainda longe, manda embaixadores, e pede condições de paz.

O EXEMPLO DE ALGUNS CRISTÃOS NA IGREJA DA GALÁCIA
(GL 3:1) - Ó INSENSATOS gálatas! quem vos fascinou para não obedecerdes à verdade, a vós, perante os olhos de quem Jesus Cristo foi evidenciado, crucificado, entre vós?
(GL 3:2) - Só quisera saber isto de vós: recebestes o Espírito pelas obras da lei ou pela pregação da fé?
(GL 3:3) - Sois vós tão insensatos que, tendo começado pelo Espírito, acabeis agora pela carne?
(GL 3:4) - Será em vão que tenhais padecido tanto? Se é que isso também foi em vão.

O PERIGO DE NÃO SE DEIXAR SER INSTRUIDO NA VERDADE LEVOU MUITAS PESSOAS A APOSTASIA E OLHAREM PARA SI MESMO
(Mt.13:15) - Porque o coração deste povo se endureceu, e com os ouvidos ouviram tardiamente, e fecharam os [olho]s, para que não vejam com os [olho]s, nem ouçam com os ouvidos, nem entendam com o coração, nem se convertam, e eu os cure.

(2Tm.4:3) -3 Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si [mestres] segundo os seus próprios desejos,

(HB 5:11) - Do qual muito temos que dizer, de difícil interpretação; porquanto vos fizestes negligentes para ouvir.
(HB 5:12) - Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento.
(HB 5:13) - Porque qualquer que ainda se alimenta de leite não está experimentado na palavra da justiça, porque é menino.
(HB 5:14) - Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal.
(HB 6:4) - Porque é impossível que os que já uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo,
(HB 6:5) - E provaram a boa palavra de Deus, e as virtudes do século futuro,
(HB 6:6) - E recaíram, sejam outra vez renovados para arrependimento; pois assim, quanto a eles, de novo crucificam o Filho de Deus, e o expõem ao vitupério.

(Jd.v.12) - 12 Estes são os escolhidos em vossos ágapes, quando se banqueteiam convosco, pastores que se [apascenta]m a si mesmos sem temor; são nuvens sem água, levadas pelos ventos; são árvores sem folhas nem fruto, duas vezes mortas, desarraigadas;

(2Tss.2:3) - Ninguém de modo algum vos engane; porque isto não sucederá sem que venha primeiro a [apostasia] e seja revelado o homem do pecado, o filho da perdição,

(1Tm.4:1) - 1 Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns [apostatar]ão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios,

O MAU EXEMPLO DE PEDRO
(JO 21:15) - E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros.
(JO 21:16) - Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.
(JO 21:17) - Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: SENHOR, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.
(JO 21:18) - Na verdade, na verdade te digo que, quando eras mais moço, te cingias a ti mesmo, e andavas por onde querias; mas, quando já fores velho, estenderás as tuas mãos, e outro te cingirá, e te levará para onde tu não queiras.

(At.20:28) - Cuidai pois de vós mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele adquiriu com seu próprio sangue.

c) A parábola ensina que um verdadeiro discípulo tem que priorizar o Senhor. Se o Senhor não for o Senhor de tudo, então será o Senhor de nada -
(MT 8:19) - E, aproximando-se dele um escriba, disse-lhe: Mestre, aonde quer que fores, eu te seguirei.
(MT 8:20) - E disse Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça.
(MT 8:21) - E outro de seus discípulos lhe disse: Senhor, permite-me que primeiramente vá sepultar meu pai.
(MT 8:22) - Jesus, porém, disse-lhe: Segue-me, e deixa os mortos sepultar os seus mortos.
(MT 8:23) - E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram;

ALGUMAS DESCULPAS QUE ALGUNS `FAZEM
(LC 14:16) - Porém, ele lhe disse: Um certo homem fez uma grande ceia, e convidou a muitos.
(LC 14:17) - E à hora da ceia mandou o seu servo dizer aos convidados: Vinde, que já tudo está preparado.
(LC 14:18) - E todos à uma começaram a escusar-se. Disse-lhe o primeiro: Comprei um campo, e importa ir vê-lo; rogo-te que me hajas por escusado.
(LC 14:19) - E outro disse: Comprei cinco juntas de bois, e vou experimentá-los; rogo-te que me hajas por escusado.
(LC 14:20) - E outro disse: Casei, e portanto não posso ir.
(LC 14:21) - E, voltando aquele servo, anunciou estas coisas ao seu senhor. Então o pai de família, indignado, disse ao seu servo: Sai depressa pelas ruas e bairros da cidade, e traze aqui os pobres, e aleijados, e mancos e cegos.
(LC 14:22) - E disse o servo: SENHOR, feito está como mandaste; e ainda há lugar.
(LC 14:23) - E disse o senhor ao servo: Sai pelos caminhos e valados, e força-os a entrar, para que a minha casa se encha.
(LC 14:24) - Porque eu vos digo que nenhum daqueles homens que foram convidados provará a minha ceia.

O QUE ALGUNS DISCÍPULOS PRECISAM FAZER
 Avaliar -
(Mt.6:22) - A candeia do corpo são os [olho]s; de sorte que, se os teus [olho]s forem bons, todo teu corpo terá luz;
(Mt.6:23) - se, porém, os teus [olho]s forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes são tais trevas!
 Tirar a trave dos olhos (tudo aquilo que empeça você seguir a Jesus).
(Mt.7:3) - E por que vês o argueiro no [olho] do teu irmão, e não reparas na trave que está no teu [olho]?
( 4 ) -Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu [olho], quando tens a trave no teu?
( 5) - Hipócrita! tira primeiro a trave do teu [olho]; e então verás bem para tirar o argueiro do [olho] do teu irmão.
 Remover o que impede ao discipulado
(MT 18:8) - Portanto, se a tua mão ou o teu pé te escandalizar, corta-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida coxo, ou aleijado, do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno.
(MT 18:9) - E, se o teu olho te escandalizar, arranca-o, e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida com um só olho, do que, tendo dois olhos, seres lançado no fogo do inferno.
 Estar acordado ao invés de estar dormindo em local não apropriado
(Mt.26:43) - E, voltando outra vez, achou-os dormindo, porque seus [olho]s estavam carregados.
 Amar a Deus acima de Todas as Coisas
(Lc.10:27) - Respondeu-lhe ele: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas [força]s e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.
 Permanecer ligado no Senhor, submisso –
O 15:1) - EU sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador.
(JO 15:2) - Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto.
(JO 15:3) - Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado.
(JO 15:4) - Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim.
(JO 15:5) - Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.
(JO 15:6) - Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem.
(JO 15:7) - Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.
(JO 15:8) - Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos.
(JO 15:9) - Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor.
 Ter prazer na lei do Senhor e meditar de dia e de noite para ser como uma arvore frutífera
(SL 1:1) - BEM-AVENTURADO o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
(SL 1:2) - Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.
(SL 1:3) - Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.
(SL 1:4) - Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.

Elaboração
Romildo Gurgel